24 de jun de 2015

Xangô - Orixá da Justiça Divina






          Sincretizado a São Jerônimo, Xangô é o Orixá da sabedoria e da justiça divina. Sua cor é o marrom.
            Xangô é o Orixá responsável pela solução das pendências e das injustiças, dando a quem merece o devido castigo ou a vitória ao injustiçado.
            Xangô simboliza a lei, aquele que à aplica de acordo com o merecimento de cada um (causa) e em parceria temos Ogum que a executa (efeito), seu símbolo é a machada de dois lados cortantes ou ainda a balança de dois pratos, simbolizando a justiça e a imparcialidade. Que fique claro que a justiça divina não é sinônimo de vingança e sim do restabelecimento do equilíbrio.
            Recorrem a Xangô todos os injustiçados, sejam eles perseguidos espiritualmente ou materialmente.
            Os domínios de Xangô são as pedreiras e as cachoeiras. De Xangô emanam forças poderosíssimas. É a Xangô que recorremos quando necessitamos de ajuda nos processos que demandem muita energia, nas demandas espirituais, nos processos judiciais, enfim, em todos os assuntos ligados à lei e a justiça.
            Xangô é atuante sobre as tempestades e tudo que dela provenha: como raios, chuva com trovoadas, etc. Xangô, como todos os Orixás, jamais desampara seus filhos ou seguidores. De Xangô emana a autoridade, a justiça e o saber. Xangô jamais erra e jamais permite erros de seus filhos.
            Nas demandas espirituais, Xangô virá obrigatoriamente para cumprir a aplicação lei de Deus de causa e efeito. As vibrações de Xangô, nas evocações que ocorrem nos templos de Umbanda, são fortíssimas. Quando evocado, todos percebem ou pressentem a sua força e presença.
            Nas obrigações a Xangô podem ser usadas flores brancas, velas de cor marrom ou branca, cerveja preta ou água pura. Na linha de Xangô trabalham espíritos que foram advogados, juízes, ou ainda espíritos que em assuntos relacionados à lei e a justiça tiveram ligação.
             Os filhos de Xangô são normalmente autoritários e austeros em relação à erros. Essas características que emanam de Xangô não permitem que seus filhos errem facilmente, isso porque se o erro ocorrer, a compensação e reequilíbrio virá rapidamente. Tudo o que se desarmonizar terá indubitavelmente que ser harmonizada.
            Não brinque com Xangô, por que Xangô não brinca com nada e nem ninguém. Essa frase cantada em muitos de seus pontos, transmite claramente sua autoridade e intolerância com erros, portanto evite errar, evitando assim a condenação justa que será aplicada por Ele.
            Xangô está sempre associado à força, Ele é autoritário, capaz de despertar o respeito por suas determinações, com poder para decidir sobre o bem ou o mal. Ele possui a capacidade para que sejam obedecidas as suas decisões sejam elas quais forem. Xangô está associado à firmeza da rocha e à estabilidade que ela transmite.
Das pedreiras, que são os seus domínios, deriva a sua força. Sempre transmite a impressão: “forte como a rocha”, quando incorporado no terreiro.
O chacra gástrico é consagrado à Xangô, devido sua função de equilíbrio.
Kawô Kabiecile! (yorubá)
Ká (permita-nos); wô (olhar para); Ka biyê si (Sua Alteza Real); le (complemento de cumprimento a um chefe) – Permita-nos olhar para Vossa Alteza Real!
Existe também a tradução nagô feita da seguinte forma:
Kaô = rei;   kaab = descer, pisar;  ilê = casa, chão  - Que o Rei desça nesta casa.
Ambos sofreram a corruptela e se transformou em Kaô Cabecile.
 
            Cor                                   marrom
            Domínios                         pedreiras e cachoeiras
            Atuação                            Justiça Divina, equilíbrio
            Saudação                         Kaô cabecile
            Elemento                         fogo

Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

Nenhum comentário:

Postar um comentário