29 de out de 2014

Os Mistérios da Umbanda





            Nas literaturas de Umbanda muito se fala a respeito de mistérios. E afinal, do que se trata esses mistérios?
            Na verdade, os mistérios na linguística Umbandista, nada mais é do que as especialidades de trabalho e emanações energéticas das entidades trabalhadoras e dos Orixás da Umbanda.
            Cada entidade ao assumir o compromisso de trabalho na Umbanda, de acordo com o seu grau evolutivo, seu conhecimento, compatibilidade energética, faixa vibracional, personalidade e interesse de aprendizado para sua jornada evolutiva, ingressa em uma falange de trabalho dentro de uma das sete linhas da Umbanda de acordo com o Eu determinante, ou seja, de acordo com o que se é e do que necessita para evoluir. A entidade se coloca em um dos graus energéticos dentro da hierarquia da Umbanda para efetuar determinado trabalho dentro de uma das sete linhas.
            Existem algumas formas de se analisar e identificar estes mistérios, uma delas é através do ponto riscado, onde através de interpretações das formas geométricas "desenhadas", pode-se compreender linha e falange de trabalho, área de atuação, busca evolutiva, entre outros. Outra forma é através dos pontos cantados que claramente conta um pouco à respeito do trabalho, da linha, da falange de trabalho de cada um.
            Estas duas formas citadas acima são exclusivas, cada entidade trás suas identificações pessoais (individuais), assim como nós trazemos nossas marcas que nos individualizam, como por exemplo: Assinatura, paternidade, local de nascimento e qualificações.
            Existe também uma forma de identificação destas qualificações e áreas de atuações básicas das entidades através dos nomes cabalísticos que se utilizam ao se apresentarem, trazendo à tona de uma forma geral e comum à todos que se utilizam do mesmo nome.
            Abaixo daremos alguns exemplos para melhor compreensão.
 
Mistério Pena Verde
 
A Pena -
 
1 - Objeto leve e delicado, representando a sutilidade ou campo astral, também representando o emocional que nada mais é do que um corpo sutil no campo das sensações.
 
2 - Objeto diretamente ligado ao conhecimento. Desde os primórdios que a pena é utilizada para escritas, sendo elas, diretamente ligada ao estudo e seus registros.
 
3 - Parte de um organismo físico. Literalmente, a pena é um pedaço do corpo de um animal. O corpo físico representa a densidade, energia de baixa vibração ou densa.
 
O Verde -
 
1 - Cor representativa de Oxossi ou linha vegetal. Diretamente ligada ao conhecimento, a maturidade, altivez, sustento e cura.
 
2 - Representa a fartura, a abundância, a fertilidade, o sustento...
 
Sendo o Pena Verde uma entidade diretamente ligada à Oxossi não podemos nos esquecer de seu complemento energético que é Obá, um orixá esgotador que atua na racionalidade.
 
Então podemos entender o seguinte quando uma entidade diz ser um Pena Verde:
 
Eu sou um caboclo (trabalhador) que, de forma sutil e na energia de Oxossi, traz o conhecimento até os filhos que buscam por minha ajuda. Conhecimento este que promoverá o sustento do seu campo emocional, colocará seus pensamentos em ordem e assim, estes filhos alcançarão a cura de seus corpos físicos, emocionais e espirituais. Atuo através de magia (sutilidade) no campo astral, combatendo energias densas (criações mentais, resultantes de feitiçarias de magia negra, larvas astrais, etc) e fixando energias de prosperidade, abundância, fertilidade, coragem, etc.... Em análise geral podemos compreender que é uma entidade que trabalha diretamente com a cura e equilíbrio emocional das pessoas, trazendo-as de volta a razão, tirando da cabeça destas pessoas todas as criações mentais que as desequilibram e as adoecem.
 
O Mistério Cobra Coral
 
1 - Toda entidade ligada ao mistério cobra, como por exemplo: Caboclos Cobra Coral, Araribóia, Araúna, Jibóia, Sete Cobras, etc...  Estão diretamente ligadas ao Orixá Oxumaré, ou seja, à energia de renovação. A manifestação natural de Oxumaré é o arco íris que quer dizer que a renovação está presente nas sete linhas (sete cores), sendo assim, podemos compreender que tais entidades transitam naturalmente pelas sete linhas e tem como ponto principal de atuação a renovação.
 
2 - É sabido que a cobra, desde os primórdios, é o símbolo da cura, sendo assim, é comum encontrar tais entidades atuando neste sentido, muitos deles são doutores e atuam através de cirurgias astrais e etc, diferente das entidades de Oxossí que são pajés e atuam através de pequenas mirongas e homeopatia. A cobra também é símbolo de que remete ao conhecimento magístico, fazendo destas entidades grandes feiticeiros.
 
3 - A cobra em si é um animal enigmático, de grande agilidade e periculosidade; astuta em suas caçadas e certeira em seus botes; repulsiva e geralmente venenosas. Sendo assim, podemos entender as analogias como entidades que possuem conhecimento do negativo, das malícias dos seres, das intenções e capacidades e, por esta razão, possuem o "antídoto" contra esse mal (negatividade que paralisa a evolução do ser), trazendo a renovação.
 
4 - A cobra coral, especificamente falando, possui as cores preto, vermelho e branco. O que nos remete à absorção (preto), vitalidade (vermelho) e espiritualidade ou elevação (branco). As entidades atuantes no mistério cobra coral, são as únicas entidades onde a negatividade não as atinge, ao contrário disto, tais energias diretamente direcionadas são absorvidas pela sua "faixa vibracional negra" e transformadas em força.
 
           Sendo assim, podemos compreender que as entidades Cobra Coral podem atuar sob qualquer regência de Orixá.... eles podem se apresentar como sendo de Xangô, Oxossí, Ogum, Obaluayê, etc .... a grande maioria é doutor, promovendo curas astrais e físicas. Grande doutrinadores... porque para renovar é preciso ter conhecimento e métodos para alcançar o objetivo. São também grandes feiticeiros, conhecedores de magias e manipulações magnéticas, quesito primordial para a anulação do negativo destrutivo.
 
            Compreendendo estes mistérios fica fácil entender que os nomes utilizados pelas entidades não se trata apenas de: "Mim, vento que chora" porque quando encarnado era um indiozinho chorão que corria muito e sim, códigos de especialidades, de graus vibracionais e faixas energéticas de atuações. Assim como:
 
- Todo nome que se utiliza da palavra lança, como por exemplo o Caboclo 7 Lanças ou Lança Dourada, estará diretamente ligada ao Orixá Ogum, nos remete à entidades ligadas as linhas de frente de defesa energética, atuando nas batalhas astrais, campos de contenções e barreiras energéticas.
 
- Toda entidade que utiliza no nome o Maria, estará diretamente ligada ao Orixá Oxúm, atuando nos campos emocionais, nas limpezas energéticas dos corpos astrais e ambientes, etc.
 
- Toda entidade que utiliza no nome o Rosa, estará diretamente ao Orixá Iemanjá, atuando com a geração, criatividade, corpos sensoriais e intuições. Geralmente trazem em seu comportamento o estereótipos da mãe que cuida, que chama a atenção, que puxa a orelha, porém, sempre acolhedora.
 
- Toda entidade que utiliza no nome o José, estará diretamente ligado à Xangô, e trará em seu estereótipo o sábio, o conselheiro, o conciliador. Tais entidades atuam principalmente como doutrinadores e direcionadores diante dos carmas assumidos pelos filhos.

- Toda entidade que trás o malandro em seu nome ou na falange de trabalho, não deve receber o olhar repressor ou o adjetivo pejorativo deste nome, afinal de contas, o que é um malandro se não aquele que consegue tirar o melhor proveito das piores situações? E quem melhor para aconselhar alguém diante da adversidade se não um malandro?

            Diante destes exemplos básicos, abrimos caminhos para que os filhos iniciem algumas reflexões a respeito de cada mistério atuante na Umbanda que possam estar ligadas à vocês em seus trabalhos diários. Penas, Pedras, Lanças, Folhas, Flechas, Marias, Josés, Beneditos, Rosas, Tranca Ruas, Lodos, Caveiras, etc.; não são meras analogias, apelidos ou nomes santos, cada um trás em si uma mensagem de quem os carregam.

Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá.





2 comentários:

  1. ''As especialidades de trabalho e emanações energéticas das entidades trabalhadoras e dos Orixás da Umbanda.'' Nesta frase podemos dizer que todo está ligado e nada é meras analogias, assim como um nome dado ao objeto. A umbanda está totalmente ligado a tudo ao nosso redor, até mesmo aos detalhes que não conseguimos ver, sentir ou escurar. Claro isso é o que eu acho.

    Tenho uma dúvida a umbanda pode ser feita analogias do universo (ex: Via Láctea, cometas e afins) ?

    ResponderExcluir
  2. Portfólio,

    Assim como você, nós acreditamos que a Umbanda está ligada à tudo e à todos, ou para não dizer a Umbanda, que suas energias estão.

    Sendo assim acredito que sim, que tais analogias podem ser feitas, apesar de não me sentir capacitada para tal.

    Vemos nos trabalhos do dia a dia, dentro do terreiro, a ligação direta de várias entidades ligadas aos fenômenos naturais, se isto ocorre neste sentido, porque não em relação à galáxias, Via Láctea, etc??? Afinal, cremos que Orixás são energias Divinas criadoras e sustentadoras.

    Abraços e Luz,
    Mãe Solange de Iemanjá

    ResponderExcluir