8 de ago de 2014

Estudando Mediunidade 2




Vamos observar a mediunidade do ponto de vista da neurofisiologia e neuroanatomia.

Tudo se inicia na glândula pineal. A captação mediúnica se dá pela glândula pineal e estudos mostraram que isso ocorre da seguinte maneira:

1 - Foi registrado através de ressonâncias e dessecação de cadáveres que no interior da glândula pinel existem cristais de apatita e, que a quantidade destes cristais são maiores em médiuns atuantes.

2 - Estes cristais são os responsáveis pelas ressonâncias e captações eletromagnéticas.

3 - O primeiro ponto a se observar é que a via mediúnica se dá pelo magnetismo. Inicialmente foi pensado que o magnetismo mediúnico se diferenciava do magnetismo do imã porém, após várias experiências constatou-se que o magnetismo mediúnico é exatamente o mesmo que o magnetismo do imã, formando ondas eletromagnéticas. A diferença entre eles é a intensidade ou freqüência destas ondas eletromagnéticas. O magnetismo que sensibiliza nossas células é o magnetismo de baixa intensidade (exemplo o televisor, razão pela qual há reação com a nossa aproximação formando ondas eletromagnéticas), já o magnetismo constatado geologicamente ou de aparelhos mais potentes (exemplo o trem bala no Japão) é de alta intensidade e com estes estudos ficou constatado que se assim não fosse, ao entrarmos em contato com ondas eletromagnéticas de alta intensidade, o ser humano sofreria uma parada cardíaca devido as reações de nossas células em nosso organismo, conforme nos diz os estudos e publicações realizados pela universidade de Berkeley, que tem demonstrado tudo isso de forma científica.

4 - Nossos trilhões de células possuem uma membrana plasmática e esta membrana tem uma bomba de cálcio e próton (bomba no sentido de bombear e não explodir) que é o sensor celular do magnetismo. É por através destas bombas que captamos o magnetismo de baixa intensidade e, como nossas células se alimentam de íons (átomos dotados de carga elétrica), nós também irradiamos o magnetismo. Resumindo, para melhor compreensão, os seres humanos irradiam ondas eletromagnéticas como um telefone celular e estas ondas espectro eletromagnéticas tem alcance muito além de onde a pessoa está e é capaz de carrear informações captadas pela glândula pineal, que é o único órgão do nosso corpo capaz de converter a onda eletromagnética em estimulo neuroquímico.

Exemplo: Usaremos a Luz. Todo nosso corpo é sensível a luz a incidência luminosa provoca a degradação da pró vitamina D em vitamina D e acionamento do paratormônio a partir da pele porém, apenas os olhos são capazes de converter ondas luminosas em estímulos neuroquímicos.

5 - Sendo assim, compreendemos que as ondas eletromagnéticas não se propagam no ar como o som e sim no vácuo e são capazes de transmitir além das informações

Concluindo:

- Somente a glândula pineal é capaz de converter o estimulo magnético em estimulo neuroquímico

- Foi comprovado que a glândula pineal é um órgão sensorial de captação magnética

- Se afirmamos que a glândula pineal é o órgão mediúnico, ela teria que ter a capacidade de captar ondas magnéticas e, ela é, isso comprovadamente.

- Se é o órgão de captação mediúnico, o primeiro espírito que ela capta é o nosso próprio espírito. Então ela também é o ponto de ligação da nossa alma ao corpo por ser o canal mediúnico.


- É constatado através de pesquisas científicas que a glândula pineal é que comanda a relação de espaço e tempo (sendo que ela é a responsável por nosso relógio biológico), que comanda a sexualidade (energia telúrica) e é o sensório que comanda a mediunidade através da captação de ondas eletromagnéticas.

Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

Nenhum comentário:

Postar um comentário