NOSSA CASA

8 de ago de 2014

Estudando Mediunidade 2




Vamos observar a mediunidade do ponto de vista da neurofisiologia e neuroanatomia.

Tudo se inicia na glândula pineal. A captação mediúnica se dá pela glândula pineal e estudos mostraram que isso ocorre da seguinte maneira:

1 - Foi registrado através de ressonâncias e dessecação de cadáveres que no interior da glândula pinel existem cristais de apatita e, que a quantidade destes cristais são maiores em médiuns atuantes.

2 - Estes cristais são os responsáveis pelas ressonâncias e captações eletromagnéticas.

3 - O primeiro ponto a se observar é que a via mediúnica se dá pelo magnetismo. Inicialmente foi pensado que o magnetismo mediúnico se diferenciava do magnetismo do imã porém, após várias experiências constatou-se que o magnetismo mediúnico é exatamente o mesmo que o magnetismo do imã, formando ondas eletromagnéticas. A diferença entre eles é a intensidade ou freqüência destas ondas eletromagnéticas. O magnetismo que sensibiliza nossas células é o magnetismo de baixa intensidade (exemplo o televisor, razão pela qual há reação com a nossa aproximação formando ondas eletromagnéticas), já o magnetismo constatado geologicamente ou de aparelhos mais potentes (exemplo o trem bala no Japão) é de alta intensidade e com estes estudos ficou constatado que se assim não fosse, ao entrarmos em contato com ondas eletromagnéticas de alta intensidade, o ser humano sofreria uma parada cardíaca devido as reações de nossas células em nosso organismo, conforme nos diz os estudos e publicações realizados pela universidade de Berkeley, que tem demonstrado tudo isso de forma científica.

4 - Nossos trilhões de células possuem uma membrana plasmática e esta membrana tem uma bomba de cálcio e próton (bomba no sentido de bombear e não explodir) que é o sensor celular do magnetismo. É por através destas bombas que captamos o magnetismo de baixa intensidade e, como nossas células se alimentam de íons (átomos dotados de carga elétrica), nós também irradiamos o magnetismo. Resumindo, para melhor compreensão, os seres humanos irradiam ondas eletromagnéticas como um telefone celular e estas ondas espectro eletromagnéticas tem alcance muito além de onde a pessoa está e é capaz de carrear informações captadas pela glândula pineal, que é o único órgão do nosso corpo capaz de converter a onda eletromagnética em estimulo neuroquímico.

Exemplo: Usaremos a Luz. Todo nosso corpo é sensível a luz a incidência luminosa provoca a degradação da pró vitamina D em vitamina D e acionamento do paratormônio a partir da pele porém, apenas os olhos são capazes de converter ondas luminosas em estímulos neuroquímicos.

5 - Sendo assim, compreendemos que as ondas eletromagnéticas não se propagam no ar como o som e sim no vácuo e são capazes de transmitir além das informações

Concluindo:

- Somente a glândula pineal é capaz de converter o estimulo magnético em estimulo neuroquímico

- Foi comprovado que a glândula pineal é um órgão sensorial de captação magnética

- Se afirmamos que a glândula pineal é o órgão mediúnico, ela teria que ter a capacidade de captar ondas magnéticas e, ela é, isso comprovadamente.

- Se é o órgão de captação mediúnico, o primeiro espírito que ela capta é o nosso próprio espírito. Então ela também é o ponto de ligação da nossa alma ao corpo por ser o canal mediúnico.


- É constatado através de pesquisas científicas que a glândula pineal é que comanda a relação de espaço e tempo (sendo que ela é a responsável por nosso relógio biológico), que comanda a sexualidade (energia telúrica) e é o sensório que comanda a mediunidade através da captação de ondas eletromagnéticas.

Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

5 de ago de 2014

Estudando Mediunidade 1



Diante das observações e acompanhamentos realizados pela Associação Médico Espírita do Brasil que avaliou várias pessoas de forma clínica os sintomas orgânicos e psíquicos da mediunidade, constatou-se alguns pontos relevantes.

Vamos iniciar dizendo que a mediunidade não é unicamente de ordem espiritual, ao contrário disto, ela influência a psique e promove reações orgânicas diretas por ser de ordem biológica.

Observando médiuns sem orientação, ou até, sem  consciência de sua mediunidade foram notados vários fatores importantes:

1 -  O fenômeno mediúnico é um fenômeno adrenérgico, ou seja, há uma liberação de adrenalina no sangue sem uma causa determinante, como ocorre no stress. O stress provoca o derramamento de adrenalina na corrente sanguínea devido à situações contrárias e desagradáveis à pessoa porém, quando esse derramamento é de origem mediúnica não foram encontradas justificativas para tal. Sendo assim, nota-se que isso pode ocorrer a qualquer momento e em qualquer lugar causando grande desconforto e desequilíbrio psíquico para o médium em questão culminando até em patologias como a síndrome do pânico, em alguns casos.

2 - A pessoa geralmente apresenta alteração de comportamento em quatro questões comportamentais básicas, que são: Fome, Sono, Agressividade e Sexualidade.
Foram observados os seguintes comportamentos:
- A pessoa come sem necessidade (comendo em excesso ou de forma errada) ou tem anorexia. Geralmente a pessoa pode passar a se alimentar por fome emocional.
- A pessoa passa a ter casos severos de insônia ou então à dormir em excesso (hipersonia), sem alcançar o sono de qualidade por não conseguir entrar no estado de sono profundo.
- Na questão agressividade, o médium pode tanto se tornar agressivo ou então auto agressivo. Estágio que poderá levar à depressão, fobias, doenças degenerativas e auto imunes. Mostrando geralmente quadro de mau humor, violência, isolamento e irritação.
- Os distúrbios da sexualidade não tem absolutamente nada haver com a condição de heterossexual ou homossexual, tem haver com a enorme dificuldade em criar vínculos afetivos por dificuldades em se entregar, se abrir, expressar seus sentimentos, etc.

Todos possuem mediunidade por ser um atributo biológico e ela responde a um pulso que ocorre de 90 em 90 minutos. O que isto quer dizer?

A cada noventa minutos entramos no pulso mediúnico onde ficamos numa espécie de transe, sonolência ou em estágio hipnótico (onde tudo o que é dito fica registrado como comandos), passado esse pulso mediúnico a pessoa volta ao estágio de alerta.

O pulso mediúnico acontecerá de acordo com a faixa vibracional em que a pessoa está podendo levá-la ao mais sublime êxtase, bem como ao inferno astral, tudo dependerá de suas condições emocionais e de personalidade. É importante compreender que isso ocorre com todas as pessoas, mesmo que de forma inconsciente para muitos de nós, estaremos vivenciando à cada 90 minutos um pulso mediúnico que nos levará a experimentar uma das condições acima citadas, onde poderemos potencializar em nós todos os pontos negativos que assombram nossa alma como podemos potencializar tudo o que temos de melhor impulsionando nossos afazeres diários; a sintonia vai depender das reações psíquicas e de personalidade que cada um possui.

Então, a cada noventa minutos a pessoa pode apresentar qualquer um dos sintomas descritos, como o descontrole emocional, distúrbios de sono, distúrbios de fome, agressividade e distúrbios de sexualidade concomitante a apresentação de pensamentos depressivos ou de pânicos, em alguns casos. Deixamos claro que a mediunidade não causa estes problemas, ou seja, ela não é geradora ou causa de distúrbios, ela apenas potencializa o que já existe no eu da pessoa.

Então podemos compreender que foi identificado clinicamente que:

1 - O fenômeno mediúnico envolve alteração no sistema nervoso autônomo com resposta adrenérgica (derramamento de adrenalina sem causa aparente).
2 - Há perda de controle que envolve situações de stress, pânico e depressão.
3 - Ele é idiossincrático, ou seja, não há uma reação de causa e efeito. Não se encontra uma lógica na questão dos distúrbios psíquicos.
4 - Mexe-se com quatro padrões comportamentais importantes: Sono, fome, agressividade e sexualidade.

5 - A pessoa vai apresentar qualquer um destes sintomas e reações a cada 90 minutos e isto ocorre em todos os seres humanos de forma inconsciente, ou seja, não nos damos conta do pulso mediúnico que nos envolve e influência à cada hora e meia.

Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

1 de ago de 2014

Homossexualidade na Umbanda


As entidades que atuam na Umbanda aceitam o homossexual?

Não,  eles não aceitam.

É exatamente isto, eles não aceitam, até porque esta não é uma questão enxergada por eles (os guias) e sim por nós que estamos ligados ao corpo físico onde o sexo está diretamente ligado à reprodução e conduta social.

A preocupação por parte das entidades que cuidam das pessoas que recorrem aos terreiros é de ordem emocional e moral. Ou seja, eles se preocupam se a pessoa está feliz ou infeliz; doente ou saudável; se respeitando ou partindo para a promiscuidade numa conduta de auto destruição.

Sendo assim, fica fácil compreender que tais situações independem da condição sexual do ser.

Mas as pessoas vão perguntar: Porém, a homossexualidade existe no plano físico e as entidades não tem um parecer à respeito?

Sim, eles nos trazem a informação que a homossexualidade nada mais é do que uma mudança de planos, uma resistência "disciplinar", que o espírito assume assim que tem o ganho consciente de sua sexualidade no físico.

Todo espírito, antes de reencarnar, combina junto com seus mentores o "plano" principal que o ajudará em suas experiências para a evolução onde ao reencarnar e vivenciar as sensações da carne (plano físico), o espírito acaba mudando de idéia voltando para sua faixa vibracional assim como todas as outras resistências que os seres humanos se colocam enquanto encarnados.

Enfim, o que realmente importa para as entidades que cuidam e direcionam os filhos da Terra é sua capacidade de ser feliz, saudável e honesto em todos os sentidos da vida, principalmente com o eu, se conhecendo e se aceitando exatamente como se é; única forma de caminhar para evolução.

Aquele que se interessar pelo assunto, recomendamos que assistam o vídeo compartilhado aqui em nossa página do Professor Laércio Fonseca.

Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

Homossexualidade e Espiritualidade