30 de abr de 2014

Reforma Íntima - Aprendendo à reconhecer com verdade os sentimentos.





Mágoa.

Num esforço íntimo, por julgar de suma importância que as palavras de ensinamento não se percam no tempo, tentarei registrar nessas linhas a aula que recebemos do Caboclo Cobra Coral, em 28.08.210.

Para um maior entendimento, separarei em duas etapas a explicação.

1ª – Mágoa, em relação a moral espiritual.

2ª – Mágoa, em relação ao ataque energético.

Mágoa é uma palavra que usamos como forma de camuflar alguns sentimentos reais, diante de uma situação, que sentimos e desejamos escondê-los de nós mesmos.

São eles:- Raiva, Vingança e Covardia.
 
Estes são os verdadeiros sentimentos que trazemos no coração quando nos sentimos “magoados”.

Na verdade ao nos sentirmos magoados é porque de alguma forma fomos ofendidos em nosso orgulho, vaidade e ego. Diante desta ofensa entramos no processo dos sentimentos de:

1 - Raiva
Ficamos com raiva por termos sido colocados em uma situação onde fomos ofendidos e não termos reagido, ou então, não reagirmos tanto quanto nosso orgulho, vaidade e ego, achassem suficiente e a altura, diante de tal ofensa. Esta situação, ao ser relembrada, trás alterações em nosso emocional e de humor.

2 - Vingança
Diante da perda da oportunidade de revidar, conforme nosso íntimo desejava e tomados pela raiva vamos cultivando o desejo constante de vingança, que nem sempre é concretizada em confrontos porém, são ativadas magneticamente. Todas as vezes que pensamos e recordamos o ocorrido nos ocorrem pensamentos como:- Deveria ter dito isso, ou então, deveria ter feito aquilo. Todos estes pensamentos são voltados num sentido de ofender, machucar, apontar falhas, descontar ou até prejudicar aquele que nos “magoou”.

3 – Covardia
Como em nosso íntimo tudo é muito radical e declarado, pois estamos com raiva e desejo de vingança, precisaríamos ter coragem suficiente para alcançar essa situação tão desejada. Para concretizar os anseios mais íntimos, teríamos que entrar em confronto direto com a pessoa que nos “magoou” e reiniciar todo um processo que se "findou naquele momento” das ofensas, onde nos calamos ou não reagimos tanto quanto verdadeiramente gostaríamos.

Oportunidade perdida, sensação de humilhação e falta de coragem para reiniciar o confronto e, correr o risco de mais uma vez sairmos perdedores, nos paralisamos fisicamente mas, continuamos atuantes em nosso mental. Ou seja, não entramos em confronto direto, porém, não abandonamos o caso e, continuamos a nos presentear com a imaginação de destruição, humilhação e ofensas que desfechamos em nosso embate particular mental, onde não corremos o risco de sofrer perdas e saímos sempre vencedores, por cima, satisfazendo nosso ego.

Diante disto e conhecedores de que um pensamento negativo é um ataque energético que enviamos e endereçamos a pessoa que mentalmente desejamos mal, reconhecemos a mágoa como um ato infracional da moral espiritual, de pura covardia.
 
Consequências dessa postura:

Energeticamente, os sentimentos de raiva e vingança, geram uma massa fluídica que aos poucos vai se condensando e se transformando em uma espécie de punhal que devido a afinidade energética é atraído pelo chácra básico, ou conhecido por, Kundalini. Localizado na base espinhal (cóccix); onde toda energia de baixa vibração ou emanação física se concentra. O que devemos compreender é que apesar de se tratar de uma energia de baixa vibração, compatível com o campo de atuação e absorção do kundalini, o punhal é uma condensação superior a capacidade de absorção deste chácra, e o mesmo se transformará realmente em um instrumento que afetará nosso corpo espiritual.

Ao passar do tempo também afetará nosso corpo físico, causando dores na coluna que poderá se refletir para as pernas, joelhos e pés. Ou então, o processo inicial da doença é focado em um único ponto, como os joelhos, por exemplo; e como consequência do andar torto por conta das dores localizadas, outras partes do corpo são afetadas como os pés e a coluna.

Poderemos reconhecer então que a maioria das pessoas que se queixam de problemas de coluna, joelhos, pernas e pés são pessoas que guardam em seu íntimo a mágoa. Que é o sentimento real de raiva, vingança e covardia, portanto, desestruturando os campos emocional, espiritual e físico. Tudo isso por conta do alto grau, ainda existente, de orgulho, vaidade e ego. E além do mal causado à ela própria, ainda atinge seu desafeto com emanações nocivas através de feitiço mental, ao direcionar jatos energéticos de baixa vibração em direção à outra pessoa.

Como nos disse o Coral, o único caminho para a evolução ou melhora íntima de uma pessoa é a consciência. Apenas através dela é que poderemos nos livrar de tantas falhas trazidas e cultivadas por nós mesmos.

Uma frase que ele disse que me marcou profundamente foi:

- Tenho uma notícia ruim para vocês. A partir de hoje vocês carregaram a responsabilidade pelo aprendizado que receberam.

Recorrendo ao texto sobre as morais, compreendi que:

Até ontem minha pena era branda, devido a ignorância do mal que eu cometia mas, a partir dessa frase, minha pena será rígida de acordo com as escolhas que eu fizer nesse sentido.

Também compreendi que um verdadeiro Umbandista não deve dar asas ao seu mental doentio no momento de uma mágoa, que ele não deve se encorajar e se dirigir a pessoa que o magoou para por em prática tudo aquilo que desequilibradamente deseja em seu interior. Que um verdadeiro Umbandista tem dois caminhos à seguir numa situação como esta:

1 – Controlar seus maus instintos e se auto avaliar para reconhecer sua parcela de culpa diante da situação gerada e, se possível, ir até a pessoa com o coração aberto para apaziguar a situação.

2 – Caso a ofensa seja realmente uma injustiça, se auto trabalhar para corrigir o que lhe cabe em tal episódio e entregar o mal direcionado injustamente nas mãos das Leis Divinas, pois somente esta saberá exatamente o que caberá ao agressor.

Em ambas situações, o verdadeiro Umbandista, desiste conscientemente de seu orgulho, vaidade e ego.

Afinal, um erro jamais será justificado ou amenizado pelo mal que o outro causou. Meu erro será julgado pelo conhecimento e compreensão que trago. E hoje eu aprendi quanto mal eu posso causar a mim mesma e a um irmão se conservar em meu íntimo o sentimento da mágoa.

Boa semana para todos!

Abraços e Luz
Mãe Solange de Iemanjá

4 comentários:

  1. Hoje abri este testo, e sei que não foi por acaso!! rs Já o li outras vezes, mas digo com toda certeza do mundo que desta vez foi EXTREMAMENTE claro e INCISIVO!! Muito feliz e com coração cheio de gratidão, por este despertar!

    ResponderExcluir