NOSSA CASA

26 de mar de 2014

Como estudar?


           Durante muito tempo a Umbanda foi praticada sem estudos, ficando por conta do bom senso de médiuns comprometidos que dentro do alcance evolutivo que possuíam e suas experiências, conseguiram trazer para o plano físico grande parte das orientações e fundamentos à serem seguidos. Porém, dentro desta situação, houve inúmeras práticas repletas de excessos e crendices, onde o mental desequilibrado de vários outros médiuns foi externado como sendo fundamentos vindos do plano astral e impostos como forma de manipulações dos seguidores satisfazendo egos e vaidades. Nesta fase, podemos notar também, uma grande mistura distorcida dos Cultos de Nações com a Umbanda, onde nem um e nem o outro foram respeitados com a devida seriedade necessária, gerando grandes confusões que reforçaram ainda mais as práticas de manipulações e crendices como forma de controle dos seguidores incautos.
            Porém, a evolução é lei universal e está dentro do plano cósmico que se aplica em nosso planeta e, é por através desta lei, que a espiritualidade veio exigindo cada vez mais e mais de médiuns comprometidos e verdadeiros para que as informações do plano astral cheguem até o plano físico impulsionando a evolução espiritual e mental dos seres aqui viventes.
            Hoje já existe vasto material para estudo abrangendo várias vertentes de acordo com as experiências, grau evolutivo e orientação astral de cada autor. Sendo assim, podemos compreender que nem todas as informações impressas caberão na prática realizada por todos nós umbandistas e é esta a razão pela qual não se consegue unificar as práticas realizada dentro da Umbanda, onde cada casa pratica seus fundamentos de acordo com as experiências de seu dirigente, seu grau evolutivo e orientação do Mentor espiritual responsável pela mesma. Mas, é nítido e notório que há alguns pontos que fundamentam a base da prática realizada na Umbanda, e esta base é seguida por todos àqueles que à pratica com verdade e amor.
            Diante do exposto acima, posso dizer sem medo de errar, que o mesmo acontece com os médiuns seguidores da Umbanda. Cada um trás suas experiências, grau evolutivo e mentor espiritual e, mesmo sendo integrante de uma corrente mediúnica que engloba uma concentração de pessoas, terá sua vivência individual dentro do seu sacerdócio.
            O que eu quero dizer com isto é que mesmo o médium tendo escolhido uma casa para trabalhar mediunicamente onde preceitos e ensinamentos serão passados de forma unificada para todos, ele vivenciará de maneira íntima e particular as práticas realizadas e alcançará a compreensão de acordo com sua evolução e formação astral. Cada ser tem sua história, suas experiências vividas em vidas passadas, seus desejos e anseios, seu grau evolutivo, suas ligações com entidades do plano astral e sua faixa vibracional; será através desta condição que ele compreenderá, aprenderá e vivenciará sua jornada mediúnica.
            É por estas e outras razões, que quando sou questionada pelos filhos do TUCAL quais livros devem ser lidos e que material deve ser estudado, a minha resposta é:
             - Todos os que desejar e conseguir.
            Eis que, por experiência própria, compreendi que várias leituras simplesmente não são assimiladas por uns, enquanto que para outros são admiradas. Isto dependerá exatamente do grau evolutivo e de compreensão que cada um está. Tanto é, que com o passar do tempo, o mesmo livro que hoje não foi compreendido no amanhã será lido sem problemas de compreensão.
            Dentro do nosso Templo temos uma base de orientação fundamentada que é passada para todos com dedicação, e a orientação que passamos em relação à estudos complementares é:
            1 - Estude muito, o máximo que puder. O estudo é fonte segura para expandir o mental, facilitando a ligação do médium com o plano astral.
            2 - Leia tudo que desejar, sem esquecer que ninguém é detentor da verdade e que todos possuem parte dela. Sendo assim, utilize da seguinte técnica de estudo:
            a) - Todo conteúdo que você souber que não lhe convém ou que já aprendeu que não é bom, IGNORE.
            b) - Todo conteúdo que estiver de acordo com o que você aprende, receba como CONFIRMAÇÃO DAS ORIENTAÇÕES RECEBIDAS.
            c) - Todo conteúdo que chocar com as orientações recebidas, PEÇA EXPLICAÇÕES PARA AVALIAR QUAL VERTENTE ESCOLHER.
            d) - Todo conteúdo que for desconhecido, GUARDE PARA FUTUROS ESCLARECIMENTOS E COMPREENSÃO.
            e) - Avalie o grau de dramatização contido, principalmente em romances espiritualistas e espíritas, buscando compreender a MENSAGEM ASTRAL.
            f) - UTILIZE TODO CONHECIMENTO QUE JÁ POSSUI PARA PENEIRAR O CONTEÚDO DO QUE LÊ E RETER APENAS AQUILO QUE VENHA  LHE ACRESCENTAR DE FORMA SALUTAR.
            3 - Toda obra tem algo a nos ensinar basta se despir de preconceitos e manter a razão para avaliar seu conteúdo, lembrando que em alguns casos, a única lição retirada é exatamente o que se deve evitar.
            4 - Lembre-se que a evolução depende justamente do conhecimento. Como todos àqueles que buscam com coração aberto e verdade a Umbanda vão à procura de seu aprimoramento e evolução, o estudo é alimento indispensável para o espírito.
            5 - Faça perguntas e tire todas as suas dúvidas, isto é um direito que lhe cabe, partindo do princípio que você se tornou integrante de uma corrente de Umbanda para buscar aprendizado e aprimoramento pessoal.
            6 - Rejeite censuras e limitações por parte de dirigentes. Compreenda que isto é uma forma de MANIPULAR O SEU MENTAL. Tenha consciência que lhe deve respeito porém, o dirigente não é o seu dono e não pode lhe cercear o livre arbítrio.
            No Templo TUCAL, compreendemos que a era de manipulações e conduções cega terminou. Cada dia mais os médiuns chegam sedentos do saber e nos esforçamos para alimentá-los em suas buscas, fazendo-os compreender que é de suma importância raciocinar e tirar suas próprias conclusões não se deixando manipular por uma segunda opinião e que esta é a única forma segura de evoluir.
            Sendo assim, desejamos à todos nossos filhos, amigos e seguidores um bom ESTUDO.
 
Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

24 de mar de 2014

Captação Sensível.



Significado de Captar
 
v.t.d. Conseguir (para si) através de capacidade, habilidade ou mérito; atrair: captou elogios dos pais; captou o ciúme do marido.
 Colher ou guardar; apanhar: captar os apontamentos do professor; captar os raios solares.
 Fazer com que o sinal chegue aos receptores (rádio ou TV): captar o sinal de áudio e vídeo da TV e do som.
 Entender (alguma coisa); compreender: captou a mensagem do texto.
 Economia. Recolher recursos através da venda de títulos de créditos.
 (Etm. do latim: captare)
 
Significado de Sensível
 
adj. Dotado de sensibilidade; que tem sentidos: o homem é um ser sensível.
Que pode ser percebido pelos sentidos; material, concreto: as coisas sensíveis.
Que reage facilmente às mínimas impressões físicas ou morais: sensível ao frio, aos elogios.
Física. Que registra as mínimas variações: balança sensível; filme sensível.
Fig. Emotivo, compassivo, humano, terno:
 
Sinônimo de sensível: impressionável
 
Fonte: www.dicio.com.br
 
            Acima coloquei o significado das duas palavras: Captar / Sensível. Porém, vamos compreender o termo captação sensível pelo lado astral.
 
            Captação: Ter a capacidade de entender, de compreender e de interpretar.
 
            Sensível: Sentir. Tudo que se relaciona à sensibilidade esta diretamente ligado ao corpo sensorial. É ele que em primeiro plano capta as energias, para só então, conseguirmos processar a informação no corpo mental e compreendê-la racionalmente. Sendo assim, podemos compreender que o corpo sensorial percebe, capta e sente muito antes do corpo mental e, só então termos condições e material para compreender racionalmente o que ocorre em nosso entorno ou interior.
 
            O Caboclo Cobra Coral, deseja que entendamos o termo captação sensível, exatamente nesta condição, quando ela ainda está no corpo sensorial, no estágio do inconsciente, antes de ter sido processada pelo corpo mental e se tornado racional.
 
Explicação:
            Captação sensível, seria a capacidade de uma pessoa sentir uma emanação, uma faixa energética ou um campo vibracional, sem que se dê conta racionalmente do que está acontecendo em seu interior. Ou seja, o médium adentra em uma faixa de energia através do seu corpo sensorial mas, de forma inconsciente e sem saber explicar racionalmente o que está sentindo exatamente se manifesta dentro daquilo que o seu corpo mental consegue compreender racionalmente, tentando externar da melhor maneira possível a enxurrada de sensações que percorrem seu ser.
            Dentro dos trabalhos de Umbanda poderemos facilmente encontrar este tipo de manifestações nas giras de Orixás. Nestas giras os médiuns através da captação sensível, manifestam as emanações de determinado Orixá externando o que tais vibrações causam em seu emocional e, diante deste sentimento, ele (o médium) conseguirá afetar o campo áurico das demais pessoas através da energia magnética desprendida.
            Então vejamos de uma maneira bem simplista como isso ocorre:
            1 - Sabemos que somos energia, sendo assim, basta uma sintonia para haver uma comunhão destas energias.
            2 - O magnetismo, pode ser compreendido como a energia da atração. Tudo aquilo que se deseja realmente, será atraído.
            3 - O médium, ao receber a autorização do guia chefe para manifestar um Orixá, entra em estado de concentração para entrar e sentir a energia emanada pelo mesmo, ou seja, entra através da captação sensível (sensações e sentimentos) na faixa vibracional deste Orixá, tenta compreende-la em seu mental para posteriormente externar em seu corpo físico tais sensações.
            4 - Após racionalizar estas sensações para manifestá-las, o fará na intenção de agregar à corrente mediúnica envolvendo à todos com seu magnetismo.
            Exemplo: Canta-se para o Orixá Ogum. Sabemos que os Orixás não são seres (indivíduos) e sim energias que despertam nossos sentidos físicos, emocionais e espirituais, por esta razão não há como ocorrer a incorporação de um Orixá em si. Sendo assim, ou o médium incorporará uma entidade atuante nesta energia ou manifestará animicamente através da captação sensível o que compreende desta energia.
            Ainda dentro do exemplo, poderemos facilmente identificar nas giras do Orixá Ogum, médiuns incorporados por caboclos que apresentam esta energia, como: Ogum Rompe Mato, Ogum Beira Mar, Ogum Megê, etc., entidades diretamente ligadas às energias do Orixá, que trazem o conhecimento de como manipulá-las à favor de todos e os médiuns que se manifestam através de seus próprios sentimentos e compreensões, onde geralmente, dentro desta linha, externarão energias magnéticas de força, altivez, autoridade, invencibilidade, etc.
 
            Dentro da matéria, Linhas das Águas, anteriormente postada em nosso site, vocês terão o exemplo destas manifestações, onde muitos médiuns acreditam-se incorporados por elementais porém, na realidade trata-se de manifestações através da captação sensível onde, conforme suas emoções e compreensões, os médiuns transmitem magneticamente o desejo de: Liberdade, limpar, equilibrar emocionais, abrandar corações, etc., alcançando assim o campo áurico de todos àqueles que ali estiverem de corações abertos e envolvidos nos trabalhos realizados.
 
            Não podemos deixar de ressaltar que os guias que estão de fato presentes nestes trabalhos estarão prontos para potencializar e direcionar estas energias magnéticas emanadas pelos médiuns em captação sensível.
 
            Neste ponto de compreensão, muitos médiuns perguntaram: - E como ter certeza de que estamos incorporados por uma entidade? Qual a diferença entre uma entidade e uma manifestação anímica?
 
            A resposta é muito simples: - Basta serenar sua mente e silenciosamente prestar atenção. Toda entidade, por ser um indivíduo, ao se aproximar do médium trás suas orientações, atua conforme sua personalidade, ou seja, tais manifestações são acompanhadas de pensamentos racionais que orientam a manifestação. Já as manifestações através da captação sensível, ocorrem unicamente baseada em sensações, não há orientações e nem impressões de personalidade de outro ser. É como olhar uma bela flor, ela não nos fala porém, ao admirar sua beleza ficamos encantados, causando uma sensação boa que invade nosso ser e tira de nós (através de uma manifestação física) um belo sorriso.
 
            Esperamos ter colaborado para esclarecer algumas dúvidas tão corriqueiras enfrentadas por muitos médiuns. E aproveito para deixar um recado e complementar esta matéria: O único caminho para se ter absoluta certeza da influência de uma entidade através de sua mediunidade é se conhecer profundamente, ou seja, todo médium tem que ter coragem de se olhar com verdade, conhecer seus pontos falhos e bons, compreender suas capacidades e fraquezas, só assim, ele terá facilidade para reconhecer a influência de uma segunda personalidade atuando em seu campo mental.
            Mais uma vez, entramos na profunda importância de se realizar a reforma íntima, pois é através dela que o médium aprende a se conhecer livre das máscaras criadas ao longo da vida.
 
Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá.

19 de mar de 2014

Linhas das águas, estudando suas manifestações.






           Ultimamente, devido à estudos realizados e observações, percebemos a incrível dificuldade que os médiuns umbandistas encontram em pensar a religião como um todo. A grande maioria, dos poucos que estudam, ficam focados em aprendizados distintos, como se um assunto não estivesse diretamente ligado à outro.

            Um exemplo do que estou falando, pode ser facilmente constatado ao observar as manifestações que ocorrem nas linhas das águas, Iemanjá e Oxúm.
 
            Muitos médiuns, com toda certeza, sabem que os elementais são seres ligados à natureza, criaturas primárias, desprovidas de senso entre o bem e o mal, que respondem à comandos instintivos ou ainda a mentes racionais.
 
            Estes seres, integram a energia telúrica e coexistem em faixa vibracional diferenciada dos seres humanos. São criaturas astrais que não podem ser classificadas propriamente dito como espíritos por possuírem corpos constituídos da quintessência; a parte mais sutil de cada um dos elementos da Natureza chamada de éter.
 
            Sendo assim, como tudo aquilo que não nos é compatível e que não está de acordo com a nossa natureza, inevitavelmente incorrerá em prejuízos à nossa saúde. E esta é a razão pela qual tais seres não possuem condições de atuar junto aos médiuns através de incorporações, podendo esgotá-los energeticamente. Diante disto, não é difícil compreender que mentores e guias não permitem tais manifestações.        
           
            Sim, meus amigos. Estamos dizendo que não há incorporações de elementais.
 
            E então vem a pergunta: - Sendo assim, o que acontece nas giras, principalmente de Iemanjá e Oxúm, onde a grande maioria dos médiuns incorporam sereias, ninfas, ondinas e etc?
            E nós respondemos:  - Manifestações anímicas, onde o médium acredita estar incorporado com tais seres, porém, na realidade estão externando uma captação sensível das emanações destes Orixás ou então, estão literalmente, agindo de forma condicionada.
 
            E o que implica esta falta de compreensão?
 
            Na gira onde todos os médiuns se deixam levar pela captação sensível ou por condicionamento não há a atuação de um guia, ou seja, de um entidade de fato para comandar os trabalhos, e ou, manipular tais energias naturais a favor daqueles ali presentes. Sendo que as entidades realmente ligadas às energias de tais Orixás, como por exemplo: Cabocla Jaci, Jaciara, caboclo 7 Ondas, cachoeira, etc., caem em completo esquecimento, sendo que seriam eles os mais indicados para manipularem as energias destes Orixás e dos elementais ligados às estas energias em prol dos trabalhos realizados.
 
            Porém, nos explica o Sr. Caboclo Cobra Coral, que diante da ignorância dos médiuns, a espiritualidade se movimenta conforme os recursos que possuem em mãos e uma das formas de fazer isto, é intuir que pelo menos o guia chefe permaneça em terra (incorporado) para manipular a energia do magnetismo emanado pelos médiuns que estão em manifestações anímicas, onde acreditando que estão tomados por entidades que promovem limpezas astrais ou equilíbrios emocionais, acabam por fim, emanando magnetismos nesta direção.
 
            O mais interessante deste assunto é que não vemos os médiuns, que acreditam incorporar sereias, ondinas e ninfas, se questionando do porque não incorporam gnomos, trolls, duendes, silfos e sílfides, salamandras, etc. Isto mostra mais uma vez, a dificuldade que há por parte dos médiuns em analisar com razão o que pratica deixando-se levar mansamente pelo condicionamento e por ensinamentos que jamais foram explicados os fundamentos.
 
            Diante do exposto, deixamos aqui um breve direcionamento para  que sirva de ponta pé inicial para estudos mais aprofundados daqueles que se interessam em compreender os fundamentos da Umbanda, da espiritualidade e manipulações energéticas.
 
Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá