16 de ago de 2013

A divisão do pão nos ritos da Umbanda



Primeiramente, o povo bíblico procurou explicar o motivo através da história, chamando-o "pão da pressa". Entre as mais primitivas prescrições da Páscoa está recomendado que essa refeição deve ser feita "às pressas" (Ex 12.11-12), porque foi no inesperado da calada da noite que os escravos hebreus saíram do Egito.

Em segundo lugar, a ausência de fermento no pão tem a ver com a renovação da vida. Não se pode misturar o antigo com o novo. Precisa-se criar um novo fermento que dará o sentido para a nova vida, agora, em liberdade, na terra de Javé.

A celebração da Páscoa, ao longo dos séculos, antes de Cristo, sofreu algumas alterações de caráter secundário (comparar Ex 12.1-14; 21-28; 43-51; Dt 16.1-8). Contudo, a Páscoa nunca modificou o seu sentido de memória dos grandes atos de Deus em favor do Povo, a fim de que esse gesto possa renovar a esperança daqueles (as) que estão oprimidos(as). É com essa finalidade que Jesus reuniu os seus apóstolos em torno de uma mesa para uma derradeira refeição. A frase que ficou na memória deles foi: "Fazei isso em memória de mim" (Lc 22.14-20).
 

Acima você encontrará as inúmeras vezes que o pão é citado nas passagens bíblicas como alimento primordial e consequentemente, um alimento sagrado que marca mudanças nas vidas das pessoas.

Na Umbanda, como cristãos, a divisão do pão também acontece e se dá na homenagem aos Pretos Velhos, um ato que assim como no significado da páscoa, renova a esperança daqueles que estão oprimidos.

O ato de colocar o pão benzido na lata de arroz, acontece como forma simbólica de abençoar a prosperidade em nosso lar. O arroz, assim como o trigo que faz o pão são símbolos naturais de prosperidade e é por isto que o pão é colocado na lata de arroz e não em outra qualquer.

Na verdade, na divisão do pão bento devemos como sinal de respeito, ao menos provar um pedaço num ato de aceitação da transformação e dos ensinamentos de Jesus.

E, porque o pão é benzido e entregue nos trabalhos de Pretos Velhos?

Porque a diretriz da fé, da obediência e da resignação, são energias emanadas por eles, assim como a inocência e a alegria é emanada pelos Ibejís e o conhecimento e a busca por uma vida ativa é emanada pelos caboclos.

Eis então a razão pela qual temos incluso nos rituais de Umbanda a entrega de pães bentos na homenagem aos Pretos Velhos, realizada em maio.

Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

Nenhum comentário:

Postar um comentário