10 de jul de 2013

COISAS DE TERREIRO....Eu vejo, eu participo destas bênçãos!







            Pronto, casa escolhida, entrada na corrente, fase de empolgação controlada é chegada a hora de trabalhar com seriedade e comprometimento.

            Na grande maioria das casas é usual que todo médium recém chegado permaneça durante um tempo trabalhando como cambone.

            A função do cambone é de auxiliar as entidades atuantes durante os trabalhos, providenciando os materiais solicitados, ajudando o consulente à compreender os direcionamentos dados pelos guias e, em termos astrais, são trabalhadores doadores de ectoplasma que é utilizado pelo astral nas curas e trabalhos realizados tanto no plano físico como astral, enfim, os cambones são os médiuns de sustentação dos trabalhos realizados no terreiro.

            Geralmente, nesta fase, os filhos de fé tem a oportunidade de presenciar várias consultas e resultados das mesmas. Vendo curas sendo promovidas, famílias reatando os laços de amizade e harmonia, pessoas se encontrando e assim tornando-se mais fortes e confiantes, pessoas livrando-se de vícios, reencontros e notícias de familiares já desencarnados e o mais importante, pessoas se modificando e vivendo de uma forma muito mais leves, felizes e próximas de Deus. São situações que geram grande alegria e satisfação entre o corpo mediúnico pois, alcançar tais resultados são na verdade o grande pagamento do médium e a sensação de bem estar por fazer parte destas histórias enchem a alma de ânimo. Este é, ou ao menos deveria ser, o único pagamento por tanta dedicação e trabalho por parte da corrente mediúnica de um terreiro.

            Este ânimo, antes de mais nada, deverá servir como mola impulsionadora para que os médiuns revejam seus conceitos e condutas, melhorando-se cada dia mais e mais para melhor servir. O tempo passado como cambone numa corrente é uma benção de grande aprendizado, é uma verdadeira escola de aprimoramento moral e intelectual. A grande maioria das consultas realizadas pelas entidades e acompanhadas pelos cambones trazem uma palavra ou um ensinamento que servirá para seu aprimoramento pessoal. Não podemos deixar de lembrar que isto também cabe aos médiuns atuantes, que conscientes, retiram para si os mesmos ensinamentos e oportunidades de aprimoramento.

            Infelizmente as palavras não fazem jus as emoções sentidas em várias situações vividas ao fazer parte de um corpo mediúnico diante de tantos resultados edificantes e, menos ainda, conseguiriam expressar a benção de ser um instrumento para tais realizações.

            Todo médium deve ter a consciência de que o trabalho é realizado pela espiritualidade mas, não é "pecado" se sentir feliz por ter sido o meio de comunicação para a realização do mesmo, guardada as devidas proporções entre o sentimento de graça e dever cumprido do sentimento de vaidade e orgulho.

            E são estes momentos de bênçãos e curas realizadas que como Umbandista eu vejo, eu participo!
 
Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

Nenhum comentário:

Postar um comentário