NOSSA CASA

29 de jun de 2013

COISAS DE TERREIRO... agora sou filho de fé




            Depois da busca pela casa ideal, depois de avaliar o ambiente e seus componentes, finalmente é chegada a hora de tomar a decisão e fazer parte do corpo mediúnico.

            Este é um momento de grande ansiedade e felicidade. Para alguns, a emoção se equipara ao dia do casamento, afinal, trata-se de uma decisão muito importante que com certeza mudará e influenciará toda sua vida.

            Não podemos nunca nos esquecer de que fomos nós quem foi buscar a casa e que fomos nós que decidimos fazer parte da mesma. Esta lembrança será muito útil nos momentos delicados, onde nosso orgulho, ego e vaidade estiverem sendo forjados pelas disciplinas necessárias ao preparo de um bom médium.

            A primeira sensação maravilhosa ao entrar para uma corrente é o sentimento de acolhimento que nos é dado tanto pelo plano espiritual como pelo corpo mediúnico da casa e a segunda é sentir que nunca mais estaremos sozinhos. Sabemos que a espiritualidade não está para resolver nossos problemas e nossas vidas porém, sentimos que em todos os momentos teremos companhia certa, direcionamento e um local para reabastecer nossas energias e forças para enfrentarmos todas as situações difíceis e necessárias que impulsionarão nossa evolução. Infelizmente, alguns filhos de fé não compreendem isto e à qualquer sinal de vicissitudes deixam suas obrigações de lado, se afastam de seus guias e de sua casa que na verdade é seu ponto de força e equilíbrio.

            Quando uma casa é séria e bem dirigida, esta consegue manter, além do nível vibratório para que sejam realizados bons trabalhos espirituais, uma cumplicidade entre seus componentes formando uma família de coração. E assim, a sensação de companhia, companheirismo, proteção e direcionamento são ainda maiores.

            Além de toda importância espiritual que implica esta escolha, tem sobre nós a importância social, onde passamos a ter uma vida compartilhada dentro deste agrupamento tanto em momentos bons como ruins.

            Inicialmente tudo é empolgação que aos poucos vai tomando consciência da seriedade e responsabilidade. É como paixão que com o tempo se transforma em amor seguro e equilibrado. Costumo dizer que quem foi picado pelo bichinho da Umbanda se encanta para o resto da vida.

            Poder estar dentro do Congá, sentir as energias dos guias atuando e estar ligado nesta egrégora é uma das melhores sensações que pode haver. É um momento onde tudo se anula, onde deixamos de ser esposas e esposos, mães e pais, filhos e filhas, irmãos, profissionais e etc., para sermos simplesmente nós, seres individuais com nossos sentimentos mais íntimos rumo a nossa evolução.

Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

20 de jun de 2013

O povo se manifestando....avante Brasil.



Olá amigos do TUCAL,

            Surgiu uma questão em nosso grupo de estudos que pensamos ser de valia compartilhar. Segue texto abaixo:

Com relação a essa onda de manifestações que está acontecendo no Brasil inteiro, o plano espiritual age também?

            O movimento é de seres humanos que se utilizam de suas consciências e livre arbítrio para se movimentarem em prol de um objetivo comum porém, a energia que os impulsiona é cósmica e evolutiva.

            O planeta está em plena rota evolutiva e isto culmina na expansão do mental e da consciência do ser. Podemos notar um grande diferencial neste movimento que é o fato de se tratar de um movimento apartidário, ao contrário de qualquer outro já ocorrido, que foram comandados por partidos políticos que se utilizaram da comoção social e do envolvimento do povo para elegerem seus representantes. Estes, ao alcançarem seus objetivos deixaram de lado todo os ideais que impulsionavam os movimentos junto ao povo para se organizar em verdadeiras quadrilhas, roubando os cofres públicos através das corrupções engordando suas contas bancárias pessoais.

            Hoje, vemos uma expensão de consciência visando exclusivamente o respeito ao povo e seus patrimônios, onde se exige uma administração cristalina e reta, disprovida de preconceitos e atentas às necessidades básicas da população.

            Não podemos deixar de notar que o baixo astral se prevalece desta movimentação através da influência no mental dàqueles que se enquadram num nível vibratório inferior. Por esta razão vemos em ação banerdeiros, vandalos, ladrões e anarquistas se aproveitando da ocasião para externar seus instintos primitivos que na verdade é uma tentativa clara do poder de manipulação do baixo astral para desmotivar e desmoralizar àqueles que militam rumo a evolução e ao bem comum.

            Ao mesmo tempo que tais ações causam transtornos, podemos perceber claramente se tratar de uma minoria que poderia ser paralisada caso a massa assim o desejasse mas, os objetivos são outros e maiores e, a grande maioria que está envolvida no movimento e na caminhada evolutiva escolhe conscientemente não se envolver com a violência focando seus interesses que irá beneficiar a massa.

            Tal postura, que inicialmente pode parecer impotente diante da violência, na verdade à isola e enfraquece, já que o objetivo maior é o que é valorizado e exigido e o comportamento desta minoria que inicialmente teria como objetivo prejudicar o movimento, acaba ajudando por assustar e pressionar ainda mais os governantes diante das destruições causadas, que no anseio de frear tais situações terminam por acatar as exigências solicitadas pela maioria que estimulam o movimento.

            Creio que o que vemos hoje é apenas o início de uma nova postura consciencial que irá se fixando aos poucos nos mentais daqueles que aqui vivem. Sendo um visionário, podemos vislumbrar um futuro completamente diferente se as causas exigidas no hoje forem conquistadas. A mudança na conduta governamental influenciará nas necessidades básicas necessárias à uma vida digna, nas leis que ordenam as condutas sociais enfim, num todo completamente diferente e muito mais justo do que vivenciamos no agora.

Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

19 de jun de 2013

COISAS DE TERREIRO... encontrei!!!


 

Encontrei!!!

            Apenas aqueles que já passaram pelo processo de busca por um terreiro para trabalhar sabe da emoção que se sente quando encontra um local que se identifica.

            Após muitas idas e vindas e muitas decepções, finalmente chega um dia que uma casa em especial toca no coração.

            O médium sabe que neste momento é o coração quem elege a casa para trabalhar mediunicamente.

            Algo atua como uma espécie de encantamento, tudo lindo e perfeito ao nosso olhar e é um sentimento de alegria que envolve a alma. Podemos dizer que esta é a primeira benção que um Umbandista recebe em sua jornada.

            Como dissemos anteriormente, cada casa possui um degrau evolutivo e como tudo é energia, aquela que estiver dentro da faixa de vibração da pessoa é a que lhe cabe, como se fosse uma roupa do tamanho correto que vai vestir confortavelmente.

            É um momento de alívio, de alegria, de emoção que dará o impulso necessário para se seguir em frente num trabalho mediúnico.

            Porém, devemos advertir que trata-se de uma decisão importante e de grande responsabilidade e por esta razão não devemos tomar tal decisão calcados na emoção, precisamos ser racionais e com cautela avaliar o local que tocou nosso coração. Aconselhamos que antes de solicitar a permissão de ingressar na corrente que se conheça ao menos um pouco quem é o dirigente desta casa, como é a vida dele, um pouco sobre sua história de mediunato e que tipo de trabalho é realizado ali.

            Aconselhamos a passar em consultas com vários médiuns para avaliar o direcionamento seguido pela casa.

            Aconselhamos que se informe sobre os estudos realizados no terreiro, que é imprescindível e se possível participar dos mesmos antes mesmo de fazer parte do corpo mediúnico.

            Aconselhamos que permaneça durante um tempo participando dos trabalhos na assistência. Tempo suficiente para observar os componentes da corrente e se aproximar para conhecê-los.

            São conselhos simples que podem evitar muitos dissabores futuros porque o anseio de encontrar um local para trabalhar pode antecipar uma decisão que deve ser tomada com cautela e segurança.

            Enfim, ao se constatar que realmente aquele é seu lugar, aproveite com respeito, comprometimento e alegria a dádiva de ser um Umbandista.

Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

14 de jun de 2013

COISAS DE TERREIRO... graus evolutivos.




Graus evolutivos.

            O lado negro das situações existentes nos terreiros, que expomos sem medo de encará-las conscientes de que toda casa, hora ou outra as enfrentam, foi na verdade uma tentativa de despertar compreensão por parte dos filhos da Umbanda.

            Compreendemos que o comportamento individual estará restrito ao grau evolutivo de cada um e tais comportamentos como ingratidões, maledicências, traições, etc., demonstram exatamente o ponto evolutivo em que se encontram tais filhos, que felizmente são a minoria.

            Neste momento gostaria de mais uma vez dar um grito de alerta à todos os irmãos Umbandistas:

            - Toda casa, assim como cada pessoa, possui seu grau evolutivo porém, dentro de cada casa independente de seu grau evolutivo, sempre existirá a laranja podre dentro do balaio.

            Estes "ataques internos" não deixam de ser uma oportunidade de aprendizado e de reafirmação da condição evolutiva de cada um ao deixar-se influenciar ou não.

            O grau evolutivo do nosso planeta, portanto o nosso, infelizmente ainda nos atraia com maior facilidade para o negativo. Ter esta informação fixada em nosso mental nos ajuda a frearmos nossos maus instintos quando nos encontramos nas situações posteriormente descritas e assim, facilitando nos auto afirmarmos num novo grau de evolução, que é o que está sendo exigido pelas energias Cósmicas.

            Como disse Pai Tomé:

            - A palavra dita com sabedoria e benevolência é bálsamo para alma porém, a palavra solta sem medir suas consequências é faca afiada que corta almas, laços de carinho e confiança, impedindo a união necessária para que o amor fraterno se estabeleça nos corações.

            Vale lembrar esta citação bíblica:

            Ai do mundo, por causa dos escândalos; porque é mister que venham escândalos, mas ai daquele homem por quem o escândalo vem! Mateus 18:7

            Ou seja, ainda precisamos passar por duras situações e testes negativos para que venha o aprendizado que nos ajudará a moldar nossos egos, orgulhos e vaidades mas, ai daquele que as provoca.

            Tenhamos isso em mente, não nos esquecendo da Lei de Retorno de causa e efeito e, no verdadeiro esforço para cumprirmos com os compromissos que assumimos, certamente encontraremos a paz interior.

            Penso que o grande diferencial existente na Umbanda é justamente tais situações que nos leva a colocar em prática os ensinamentos recebidos através da espiritualidade o que provará nosso grau evolutivo nos afirmando cada vez mais em nossas reformas íntimas.

            Incrívelmente resistentes e instintivos, o ser humano ainda se debate efusivamente diante dos ensinamentos que nos foi deixado à mais de 2000 anos porém, é chegado o momento da transformação. Que possamos ter força suficiente para compreender e, acima de tudo colocar em prática tais ensinamentos.

            Após este passeio profundo e desagradável que fizemos durante estes dias, finalmente chegou o momento de falarmos dos pontos positivos e o lado bom de ser um Umbandista e das situações maravilhosas que vivenciamos dentro dos terreiros.

Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

13 de jun de 2013

COISAS DE TERREIRO.... gregos e troianos




Gregos e Troianos.

            É comum quando as pessoas participam dos trabalhos na assistência, acharem tudo lindo e maravilhoso porém, ao adentrar na corrente iniciam um processo de insatisfações e de desejos de modificações na estrutura disciplinar adotada pelo terreiro.

Sendo assim, deixaremos alguns tópicos para se refletir:

            - Queremos antes de tudo alertá-los que onde há um grupo de pessoas, agradar a gregos e troianos, é simplesmente impossível.

            - Um filho da corrente jamais estará de posse de todas as informações referente as necessidades da casa e de todos os seus participantes, informações estas, que são exclusivas da direção. Sendo assim, o que vemos normalmente é um desejo de mudanças tendenciosas que agradará e atenderá principalmente seus próprios anseios.

            - Toda e qualquer resolução disciplinar adotada pela direção de um terreiro, normalmente se dá levando em consideração o bem da maioria, as necessidades da casa e o mais importante, enquadradas dentro dos fundamentos morais e disciplinares passados pela espiritualidade que dirige e orienta a mesma. Portanto, é imprescindível compreender que toda decisão é tomada baseando-se em uma visão global para que possa suprir da melhor maneira possível as necessidades apresentadas pelos filhos e pela casa.

            - Compreender que viver de forma disciplinada, nada mais é do que adotar uma forma inteligente de se levar a vida. Afinal, para que se chegue a um ponto disciplinar, necessariamente já se experimentou outras formas que não apresentaram resultados satisfatórios, ou seja, geralmente a conduta disciplinar adotada é um resultado positivo após várias tentativas frustradas.

            - Ao contrário do que muitos imaginam, a vontade de um dirigente normalmente é a última a ser satisfeita. Toda casa que adota uma postura reta e comprometida obedece à uma sequência de quesitos para adotar uma regra disciplinar que será imposta à todos, que são:

            1 - conservar-se dentro dos padrões dos ensinamentos e direcionamentos recebidos do plano astral.

            2 - visar o bem comum o qual deverá atender as necessidades e anseios da maioria.

            3 - visar as necessidades para o bom funcionamento da casa.

            4 - e só então, após atender todos os quesitos acima, é que a vontade de um dirigente poderá ser levada em consideração se estiver de acordo com as demais necessidades.

            Geralmente estes posicionamentos visionários se dão na grande maioria das vezes por principiantes que ainda não possuem uma consciência do fluxo necessário para se manter de forma regrada e disciplinada que uma casa necessita. Por esta razão e, porque não dizer, por esta imaturidade em relação as necessidades reais de um terreiro, apresentam soluções utópicas imaginando que tudo ficará perfeito caso sejam adotadas.

            Diante do exposto acima, queremos apenas salientar que na maioria dos casos toda casa já experimentou diversas formas para se regar ponto a ponta conforme suas necessidades e somente após vários fracassos é que se alcançou algo mais próximo do que seria o melhor. Que é necessário abrir mão das vontades individuais pelo bem comum e acima de tudo, compreender que tudo é decidido com base numa visão global.

            Neste tópico, acho oportuno deixar um direcionamento que nos foi dado pelo Caboclo Cobra Coral:

            - O terreiro nunca vai mudar ou parar para atender um filho porque ele assim o deseja porém, o terreiro sempre irá mudar e parar para atender um filho quando ele realmente necessitar.

Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

12 de jun de 2013

COISAS DE TERREIRO.... filho predileto




O filho predileto.
            Nos terreiros, além dos trabalhos espirituais de rotina, existem várias ocasiões que se faz necessária a presença e a colaboração dos filhos de fé. Entre elas podemos citar algumas:
            - Preparo e organização em datas comemorativas.
            - Limpeza, cuidado e manutenção da casa
            - Cuidados diários para o bom funcionamento da casa e recepção das pessoas.
            - Organização e preparo para os trabalhos que serão realizados.
            Em todas as situações acima citadas exigem um esforço extra dos filhos para que se realizem da melhor maneira possível e podemos dizer que dentro de uma corrente existem aqueles, e geralmente são sempre os mesmos, que se preocupam com o bom andamento do terreiro, da mesma forma e com o mesmo carinho, que se dedicam aos seus lares, se dispondo a colaborar por iniciativa própria em tais ocasiões e até mesmo nos dias de trabalho normal, chegando mais cedo para colaborarem no que for necessário.
            Sendo assim, o convívio entre estes filhos e seus dirigentes se estreitam por terem em comum o propósito de manter a casa com o máximo e o melhor que possuem, criando um laço mais íntimo e descontraído, próprio do comportamento do ser humano que milita numa mesma causa.
            Diante disto e conforme estamos relatando nas postagens anteriores, sempre existem àqueles que além de não colaborar fomentam comentários nefastos entre seus irmãos, insinuando que há predileções dentro da corrente por parte dos dirigentes.
            O texto de hoje é apenas um alerta para tais pessoas que agem desta forma e principalmente para iniciantes que antes de se deixar levar por tais comentários negativos, que se integrem verdadeiramente à corrente e que se comprometa com o terreiro para tirar suas próprias conclusões.
            Como dirigente, posso garantir que na maioria dos casos e casas, toda proximidade se dá exatamente pelo o que foi exposto acima. É comum que haja uma proximidade entre os dirigentes e os filhos que se empenham pelo terreiro por iniciativa própria e, que o tempo de convívio durante estes trabalhos extras é o fator que cria uma abertura e uma maior intimidade.
            Em resumo:
            - As pessoas que estão verdadeiramente integrada na causa da Umbanda e da casa a qual faz parte sempre são vistas como aliadas pelos seus dirigentes.
            - As pessoas que fomentam as discórdias e insinuações sempre são aquelas que ficam se oferecendo e fazendo promessas mil, porém, não comparecem e não colaboram com nada além do que não sejam obrigadas. Elas se mantêm no comodismo e egoísmo e ainda se vêem no direito de achar ruim por não conseguir se integrar e ter aproximação com seus dirigentes.
            - Se você é uma destas pessoas que se sente preterida e que fomenta insinuações de predileção dentro do seu terreiro, experimente mudar sua postura. Saia de sua posição cômoda, mesquinha e nefasta e passe a se empenhar na colaboração, fazendo-a de bom coração e sem esperar recompensa por ela, e poderá constatar o quanto estava enganada em suas avaliações.
            Lembramos mais uma vez que os discursos de caridade e de boa conduta, todos sabem de cor e salteado porém, são apenas palavras infundadas que rolam na boca de muitos, o que realmente conta são as ações.
            Encontramos na bíblia as citações que já nos ensinam isso à mais de 2000 anos:
            "Senhor, Senhor" entrará no Reino dos Céus, mas aquele que pratica a vontade de meu Pai que está nos céus» (Mt 7, 21)
            O homem é justificado pelas obras e pela fé (Tg 2, 24)
            "pelas obras que nascem da fé, porque a fé sem obras é morta (Tg 2, 17)"
Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

11 de jun de 2013

COISAS DE TERREIRO... médiuns orgulhos e vaidosos



Médiuns orgulhos e vaidosos.
O orgulho, a vaidade e o ego levam muitos médiuns a derrocada em sua jornada de trabalho. Não é raro vermos médiuns vaidosos e orgulhosos se gabando quando recebem algum elogio ou reconhecimento de seu trabalho, fazendo questão de espalhar para o máximo possível de irmãos da corrente que o guia o elogiou. Porém, estes mesmos médiuns, quando contrariados, ao serem corrigidos, da mesma forma e a boca pequena, fazem questão de espalhar para o maior número possível de irmãos da corrente sobre a culpa do médium que passou à frente do guia, implantando discórdias e dúvidas naqueles que são novatos e naqueles que estão enfrentando fases difíceis em seu aprendizado. Enfim, fomentando discórdia e maledicência dentro da casa que os abriga.
Em resumo podemos dizer assim:
            Quando o médium orgulhoso e vaidoso é elogiado, foi o guia quem o fez porém diante de uma correção, foi o médium que atravessou o guia. Colocando em dúvida a espiritualidade que o ampara.
A cada um que faz parte de uma corrente mediúnica, ao se deparar com tal situação de intriga, cabe se utilizar do discernimento para avaliar o que se sente, o que se vê dentro do terreiro, a conduta do médium que fez o atendimento em relação a conduta do médium que fomenta a discórdia e a dúvida, para não se deixar influenciar, lembrando que a semente daninha floresce com muita facilidade nos corações daqueles que não praticam o "Orai e Vigiai" ensinado pelo mestre Jesus.
A princípio, o simples fato de agir desta forma, o médium denuncia que sua conduta moral e espiritual é frágil e deficiente diante do compromisso assumido ao adentrar numa corrente mediúnica, dando asas as manifestações negativas regidas e sustentadas pelo ego estremecido.
Cabe aos dirigentes estarem alertas para tais situações e se sustentarem com firmeza e segurança em sua conduta moral através de exemplos e disciplina para que tal semente não floresça.
Fazer parte de um corpo mediúnico é uma escolha que deve ser tomada de forma consciente, onde assumiremos o compromisso real de buscarmos a evolução através da nossa reforma íntima que será direcionada pela espiritualidade. Tendo em mente que as correções e lapidação do orgulho, ego e vaidade não é um ato que deve ser apreciado apenas quando adotado com um irmão e sim quando se volta à nós mesmos.
Isso não quer dizer que não nos sentiremos mal ou melindrados nos momentos de tais situações e correções, somos muito falhos para conseguirmos passar por estas fases sem que nos afete em nosso orgulho, vaidade e ego porém, existe a diferença entre se sentir chateado e até envergonhado pelo erro cometido da disseminação da discórdia e dúvidas lançadas dentro casa que nos abriga na intenção de encontrar aliados e assim satisfazer nosso orgulho ferido.
Lembrem-se:
- Fomos nós que procuramos por nossas casas e da mesma forma, fomos nós que escolhemos e nos comprometemos com as disciplinas adotadas nas mesmas.
- Ninguém é obrigado a permanecer em um local ao qual não se sente bem e nem a concordar com as disciplinas adotadas, caso isso estiver acontecendo, tenha a dignidade de se retirar com educação e gratidão. Afinal, no momento que você se dispôs e buscou por ajuda, as portas se abriram para você. Tenham isso sempre em mente.
- Não existe condições de trabalhar espiritualmente sem que haja confiança.
- A maledicência e a difamação servirá apenas para macular sua própria imagem e não a da casa que o abrigou.
- Toda casa possui aqueles que fomentam o negativismo, esta também é uma forma de provarmos nossa força e determinação colocando em prova os ensinamentos recebidos pela espiritualidade.
- Sejam verdadeiros consigo cumprindo com as responsabilidades assumidas ao adentrar no corpo mediúnico ou então retirando-se antes de dar asas aos maus instintos para denegrir àqueles que cumprem com suas obrigações.
Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

COISAS DE TERREIRO... a roupa de cordeiro



A roupa de cordeiro.

Muitos filhos de fé, ao chegarem no terreiro é como se houvesse um vestiário onde literalmente trocam a pele do lobo pela pele de cordeiro durante as poucas horas que permanecerão ali, esquecendo que com este procedimento enganam exclusivamente à eles próprios.

Os guias nos ensinam que tudo é energia, incluindo os seres humanos, e que aquele conceito utópico que ao adentrar numa corrente mediúnica que todos se transformarão em anjos de candura amando uns aos outros é impossível dentro do grau de evolução em que nos encontramos. Nos lembram também que energias iguais se atraem e ao encontrar com uma pessoa que trás em si uma energia completamente oposta a nossa, imediatamente nos causa a reação de antipatia. Até este ponto estamos abordando exclusivamente do fluxo natural da vida e temos que nos lembrar que ainda temos os graus evolutivos individuais que podem trazer a tona a inveja, o despeito, a maledicência, o egoísmo e etc etc etc...

Diante do exposto, os guias nos orientam da seguinte forma: - Ninguém espera que vocês alcancem a angelitude e, nem muito menos, que ignorem seus sentimentos porém, é imprescindível que haja o respeito uns com os outros e a boa vontade de conhecer e compreender seu próximo. Que tudo aquilo que nos afeta de forma negativa ao observar o próximo, ou seja, tudo aquilo que condenamos e que nos irrita ao observar um irmão é exatamente o que somos.

Nestes momentos temos que lembrar que nos irritamos justamente porque estamos diante do nosso espelho que está se expondo na figura do irmão e que tal conduta que nos afeta é o que mascaramos e tentamos esconder de nós mesmos. Enfim, ninguém reconhece aquilo que não possui.

Outro ponto muito comum é a indisciplina e a resistência em acatar os fundamentos e moral adotados pela casa em que nos encontramos. Ao adentrar na corrente todos tomam ciência de tais condições porém, no decorrer do dia a dia, muitos resistem em seguir conscientemente tais disciplinas que se comprometeram em acatar quando fizeram a escolha de ingressar na egrégora daquela casa. Hoje em especial, temos as redes sociais onde geralmente constatamos as máscaras caindo, onde podemos notar com clareza o lobo que cada um trás em si. Alguns espertinhos, incluem postagens bloqueando os irmãos da corrente para que não tenham consciência de suas transgressões porém, tais condutas sempre caem por terra, sempre há o momento em que o bloqueio não funciona, que um outro alguém que não está incluso neste bloqueio comente a respeito, enfim, a farsa dura pouco. Os médiuns, necessitam adotar uma postura adulta e consciente e compreender que a melhor lição é o exemplo, que ao tentar enganar seu dirigente e seus irmãos de corrente em relação a sua conduta está enveredando por um caminho de ilusão e acima de tudo provando sua pouca fé, porque realmente eles podem conseguir enganá-los durante determinado tempo mas, da espiritualidade ninguém se esconde e tais situações com toda certeza será desmascarada exatamente no momento em que a espiritualidade julgar necessário. E ter consciência que nossa indisciplina e má conduta irá malucar a integridade da casa a qual pertencemos e principalmente a Umbanda.

Outro ponto muito recorrente em grupos, seja ele de qualquer seguimento, são as fofocas, intrigas e maledicências. Neste quesito penso que não preciso nem fazer uma avaliação dos que agem de tal forma, apenas desejo ressaltar e alertar à todos que se encontrar numa situação onde um irmão vem maldizer o outro que naquele momento ele estará falando do outro e na sua ausência poderá estar falando de você, sendo assim, cabe à você que realmente trás em seu coração o desejo de buscar por sua melhora íntima não fomentar e não compactuar com tal atitude se recusando a ouvir o que normalmente é relatado de forma distorcida e maldosa.

Todos temos a capacidade e inteligência de tirar nossas  próprias conclusões, não precisamos que ninguém venha vestido de pele de cordeiro, como se quisesse nos alertar de algo mas que na verdade é um ato maldoso com o intuito de denegrir um irmão ou a casa onde estamos! Lembrem-se que aquele que tem um olhar crítico de forma salutar, busca a própria pessoa para alertá-la de alguma eventual deficiência em sua conduta e não um terceiro para fomentar discórdia e dúvidas da conduta e moral da pessoa.

Em uma casa séria e comprometida com a moral ensinada por Jesus e a espiritualidade, não permite e não é condizente com tais posturas, tem em seus dirigentes uma pessoa diuturnamente atenta para tais situações, conscientes das falhas humanas, disciplinando e orientando todos aqueles que se encontram com tais deficiência conduta. E sendo tal dirigente realmente comprometido com a moral e conduta reta, todas suas limitações, são supridas pelo trabalho da espiritualidade que trará ao seu conhecimento, de uma forma ou de outra, tudo aquilo que possa denegrir a casa que dirige ou fomentar discórdia em sua corrente.

 Resumindo o tema:

- Lembre que se uma pessoa fala mal de alguém para você, no amanhã você poderá ser o assunto dela com outro. Tais pessoas só precisam encontrar um que o ouça!

- Todos temos nossas deficiências porém, todos nós também temos nossas qualidades e inteligência para tirar nossas conclusões por nós mesmos não nos deixando ser influenciados por opiniões alheias.

- Que o verdadeiro médium que é comprometido com a missão que escolheu e adotou como filosofia de vida, possui exatamente a mesma conduta dentro e fora do terreiro.

- Que nossa postura e nossos exemplos são o espelho da casa a qual adotamos como nossa em nossos corações e da Umbanda.

- Que uma pessoa que não assume uma conduta moral reta nunca conseguirá se ligar à espíritos elevados e será presa fácil para os zombeteiros e espíritos maldosos que primam por derrubar por terra a egrégora da Umbanda.

- Que o terreiro não é um conto de fadas, você terá que conviver com pessoas que te causam antipatia porém, seu comprometimento o fará respeitá-las e ter com as mesmas um bom convívio social.

- Que a convivência com pessoas que conflitam com nossos conceitos é justamente uma grande escola que nos levará a aprender na prática a respeitar o livre arbítrio e o grau evolutivo de cada um, da mesma forma que somos tratados pelas entidades atuantes na Umbanda além de reconhecermos em nós mesmos o que nos incomoda no irmão.

- E mais uma vez, lembrar que foi você que se dispôs e escolheu a casa que trabalha, que seguir as regras é uma questão de comprometimento e verdade com você mesmo em sua busca interior, que ser indisciplinado, não adotando uma postura reta e tentar enganar seu dirigente e seus irmãos, só prova sua falta de fé na espiritualidade que atuará para esclarecer sua postura incorreta. Ter em mente que sem esforço, nunca conseguiremos sair do vício que a sociedade nos condiciona em termos de futricas, discórdia e intrigas. E se você faz parte deste grupo de pessoas que pensam que podem enganar a espiritualidade, eu aconselho que reveja seus conceitos e que busque outro seguimento para sua vida pois, na Umbanda você não encontrará espaço para tal conduta.

- Que se você não der a chance de conhecer o lado bom daquele irmão que lhe causa antipatia, estará atraindo para si a mesma faixa vibracional e vai se deparar exatamente na mesma situação onde outras pessoas da mesma forma não estarão dispostas a conhecer seu lado bom. Lembrem-se, ninguém é de todo o mal e nem de todo o bem, cabe a nós conseguir atrair um destes lados com as nossas atitudes.

- E finalmente lembrar que de nada adiantará vestir a pele de cordeiro ao adentrar no terreiro se é o lobo quem você alimenta diariamente!

Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

5 de jun de 2013

OGUM




            Sincretizado a São Jorge. Santo caçado pela igreja Católica. São Jorge continua sendo a figura que representa Ogum na Umbanda em São Paulo e algumas regiões.

            Ogum é o Orixá da ordenação. É através da emanação de Ogum que tudo se ajeita para poder progredir e por esta razão é que Ogum é o único Orixá que possui sua emanação presente em primeiro grau em todas as faixas vibracionais.

            Ogum é considerado o Orixá da guerra e das demandas espirituais, e ainda das disputas materiais e espirituais. É o protetor dos militares e de todos os seguidores da Umbanda e também, daqueles que sofrem perseguições espirituais. Sua cor é o vermelho encarnado. Ogum é o mantenedor da lei e ordem Divina, vencedor das demandas contra a Umbanda e seus seguidores, em batalhas travadas por espíritos trabalhadores do baixo astral e pelos instintos negativos do ser humano.

            Conhecido como o general de Oxalá, Ogum protege a todos que a ele recorrem. Seus domínios são todos os lugares. Em qualquer lugar Ogum é atuante, nas estradas, nas matas, nos mares, nas praias, nas encruzilhadas, nos cemitérios, enfim, onde houver um sopro de vida e em todos os lugares onde exista a menor possibilidade da prática do mal, existe a atuação de Ogum.

            A lei de Ogum é a lei da espada. É um guerreiro, Orixá muito respeitado na Umbanda. A linha de Ogum é a mais atuante contra a magia negra e hordas do baixo astral com suas falanges ou outras formas de magia negativa. Veremos mais adiante que as falanges de Ogum combatem diretamente essas energias, não permitindo a propagação do mal e suas funestas conseqüências. Ogum é responsável pela execução da Lei Divina, atuando diretamente com os Guardiões que compõe suas falanges de trabalhadores.

            Nas obrigações à Ogum são usados cravos vermelhos, brancos ou ainda vermelhos mesclado com branco. Velas vermelhas, brancas e ou bicolores vermelho e branco. Nas obrigações o uso de cerveja branca é comum, consagrando-se dessa forma essa bebida a Ogum, assim como a água pura. O uso de água contra demandas espirituais é comum, por ser a bebida de Oxalá e representar a vida, a purificação e a limpeza.

            Ogum, assim como todos os Orixás, não aceita matanças ou sacrifícios de qualquer espécie. Portanto, nunca faça e não permita que façam sacrifícios de animais.

            Recorra a Ogum sempre que sentir-se ameaçado, espiritual ou materialmente. Peça ajuda a Ele, para você ou para qualquer pessoa que você notar estar embaraçada ou em perigo.

            O chacra consagrado à Ogum é o laríngeo por onde o comando da voz se faz as ordenações de todas as coisas. Por estar em todos os lugares, Ogum se enquadra no elemento ar e por alguns seguimentos pelo elemento fogo também.

            Ogum é o orixá ordenador, é o orixá da execução da Lei de causa e efeito (retorno), é o orixá da execução da Lei Divina, senhor da guerra, o guerreiro que forja almas. O orixá é a força irradiadora e as entidades que dão passagem nos terreiros são entidades manifestadoras desta irradiação.

            Pois bem, quando dizemos que Ogum é ordenador, temos que ter em mente que Ogum sempre vem na frente, ordenando, ou seja, colocando ordem em todos os sentidos imagináveis. Onde houver um sopro de vida e criação, onde houver a possibilidade do desequilíbrio e da negatividade,  haverá uma qualidade de Ogum atuante. Para cada energia radiante, existe uma qualidade de Ogum atuante. Exemplos:-

Na Origem da energia (todos os caminhos) - Ogum guerreiro
Na mata - Ogum Rompe Mato
No mar - Ogum 7 Ondas
Na areia - Ogum Beira Mar
No cemitério - Ogum Megê
Nas pedreiras - Ogum Dilê (conhecido também como Ogum de lei)
Nos campos - Ogum Matinada
Nas cachoeiras - Ogum Iara

            Por esta razão que é o único Orixá presente em todas as faixas vibracionais e se faz presente em todos os trabalhos realizados.

            Sendo assim, não importando qual a entidade que comanda o trabalho de esquerda, sempre haverá uma qualidade de Ogum para trazer a ordenança.

            Ogum está a frente nos trabalhos de esquerda, assim como nos trabalhos de direita, onde o primeiro ponto a ser firmado é justamente o de Ogum.

            Enfim, Ogum vem em primeiro lugar nos trabalhos para trazer ordem e equilíbrio em todos os sentidos.

            “Ogum jamais desampara aqueles que a Ele pedem ajuda”

            Cor                                vermelha
            Domínios                       todos os lugares e caminhos
            Atuação                         contra demandas e feitiços
            Elemento                       ar e fogo.
            Saudação                       Ogum é meu Pai, Ogum iê ou Patacori
           



            A tela aérea reflete:

            - Idealização
            - Lealdade
            - Sustentação
            - Movimentação
            - Circulação
            - Segurança