26 de jan de 2012

Jurema Sagrada e o Catimbó



Bom dia!

        

         Apenas ontem notei que uma pessoa deixou uma pergunta no site para que eu respondesse. Como esta pessoa não se identificou, resolvi fazer a resposta em texto para postar no site. A pergunta foi:

         - O que é a Jurema Sagrada - Catimbó?



         A Jurema Sagrada é uma tradição, um culto religioso nordestino, que se iniciou com o uso da planta jurema pelos indígenas das regiões norte e nordeste do Brasil. Os iniciados deste culto são conhecidos por Juremeiros. A jurema se transforma numa grande árvore que vive por mais de 200 anos e é cultuada como se ela própria fosse uma entidade. Toda ela é utilizada dentro deste ritual, desde a raiz, a casca, as folhas, as flores e as sementes; esse material é usado nos rituais em forma de banhos, remédios e em bebida ritualística entre outros. A bebida feita da jurema é utilizada para deixar os juremeiros em estado de transe.



         Sua origem está nos indígenas que habitavam o litoral da Paraíba, Rio Grande do Norte e no sertão de Pernambuco, eram os pajés grandes conhecedores das ervas, animais e encantados das matas e rios. Aos poucos juntaram-se à eles escravos fujões que passaram a influenciar na prática da Jurema, ensinando sobre o culto com os mortos (eguns) e como cultuar as forças da natureza através dos Orixás, dando seguimento a origem através dos mestiços desta união de forças.



         Para ser juremeiro é preciso ser consagrado e iniciado numa ritualística de mais de mil anos, começando como discípulo tirador de jurema, preparador de junca, firmador de toadas, flor de mesa e mestre. O ritual é feito com maracá, cachimbo, sineta e gaita. A bebida oficial é o vinho de jurema que, apesar de deixar levemente tonto o praticante não leva qualquer substancia alcoólica como erradamente pensam.



         Já o Catimbó, também cultuado na região nordeste do Brasil, agrega práticas do catolicismo como a devoção pela Virgem Maria e Jesus Cristo bem como a prática da jurema. Utilizam-se também do vinho da jurema como forma de facilitar o contato astral, incorporando os Mestres Juremeiros, que são considerados encantados após seus desencarnes, trazendo curas e aconselhamentos aos catimbozeiros.



         Existem opiniões contrárias a esse respeito, uns dizem que os catimbozeiros exercem a mesma prática dos juremeiros com mais alguns conceitos católicos, outros dizem se tratar de cultos completamente distintos em seus fundamentos, porém ambos cultuam e utilizam-se da Jurema. Ao meu ver, o catimbó é uma ramificação da Jurema Sagrada.



         Por outro lado, no sul do país, como em São Paulo por exemplo o termo Jurema Sagrada é aplicado como uma nomenclatura dada à um espaço no astral, ocupado pelas entidades trabalhadoras da Umbanda ou então Aruanda, assim como no kardecismo é conhecido o Nosso Lar. A grande maioria dos seguidores da Umbanda e do Candomblé nestas regiões, desconhecem completamente o culto da Jurema Sagrada e do Catimbó.



         Eis ai um breve resumo, apenas no intuito de esclarecer e responder a pergunta que foi deixada no site. Para os que se interessaram pelo assunto, recomendo buscas pela internet e por livros para se aprofundarem, já que a Jurema Sagrada e o Catimbó, assim como a Umbanda possui um vasto campo para estudos.



Abraços e Luz,

Mãe Solange de Iemanjá

2 comentários:

  1. Aprender algo sobre os costumes e modos nordestino e nortista, alem de ajudar a compeender este povo distante da nossa realidade, ajuda a compreender um pouco mais a forca e o poder da Natureza, quando sabiamente utilizado.

    ResponderExcluir
  2. Mae Solange de Imanja, agradeço por esclarecer a várias pessoas atraves desse breve comentário. Até hoje professo a doutrina de todos os dias tentar e insistir em ser JUREMEIRA.Como falastes a Jurema é ciencia nobre e todos querem saber. mas, eles têm que ler e se aprofundar. Muita e luz

    ResponderExcluir