NOSSA CASA

27 de dez de 2012




Olá amigos e seguidores do TUCAL,

Desejamos à todos Boas Festas e que o ano de 2013 seja repleto de realizações, paz, alegria, saúde e harmonia!

Teremos o ano de 2013 regido por Abaluaê e Iemanjá e prometo que assim que voltarmos das férias postar uma matéria falando desta regência.

Em nossa casa, voltaremos os trabalhos para a assistência no dia 19.01.13 às 18:00hrs, com passe geral devido a Homenagem à Oxossí, esperamos vocês lá.

Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

8 de nov de 2012




Animismo: O bicho papão dos médiuns.
 
Explicando a diferença entre animismo e mistificação.

            Aquela pessoa que finge atuar mediunicamente, de forma consciente, com objetivo de tirar proveito próprio, seja material, emocional ou financeiramente, abusando da fé e crença alheia para esse fim é um mistificador.

            Neste quesito, mistificador, encontramos pessoas de má fé, que encontram nas dores e momentos de angústias alheias a oportunidade impar para alcançar algo que satisfaça seus anseios e egos.

            Geralmente são pessoas fracassadas em todos setores da vida. Pessoas que não conseguiram uma colocação profissional satisfatória, que não são respeitadas no convívio pessoal e com baixa auto estima porém, com egos e vaidades exacerbados.

            Utilizam-se do nome e respeito devotado a uma entidade (guia) para conseguir o controle de familiares e amigos. Broncas, direcionamentos e ordens são passadas conforme o bel prazer do falso médium. Usam também o nome do guia para criar situações e extorquir pessoas incautas conseguindo objetos, contas pagas, financiamentos de passeios e finalmente dinheiro, na cobrança por consultas e trabalhos realizados. Estes falsos médiuns encontram na fraqueza alheia o caminho seguro para satisfazer seus maus instintos e desejos escusos.

            São de fácil identificação, basta usar de bom senso, já que o correto todos nós conhecemos, apesar de não conseguir praticar. Usam com frequência dois pesos e duas medidas, intencionalmente, para agradar também o ego e a vaidade do consulente e posteriormente alcançar seus intentos. Por esta razão, podemos dizer, sem o temor de erro, que aqueles que são ludibriados por médiuns mistificadores, assim o foram por dar vazão aos próprios maus instintos, ego, vaidade e interesse. Energias iguais que conforme Lei Cósmica, se atraem.

            Aquela pessoa que se dedica e atua mediunicamente mas que em determinadas situações, acreditando verdadeiramente que está atuante com uma entidade e passa ensinamentos e conceitos pessoais, são os médiuns anímicos. Tal fato pode ocorrer de diferentes formas, como por exemplo:

            - No início do desenvolvimento mediúnico, onde o médium iniciante ainda não aprendeu a identificar a influência da entidade sobre seu mental e acaba por exteriorizar o que ele crê ser a entidade.
            - Durante a incorporação, em espaços de tempo, onde é intercalado o conhecimento da entidade atuante e do próprio médium.
            - Durante as psicografias, onde parte das expressões e forma de exteriorização provém da capacidade cultural e intelectual do médium.
            - Durante o tempo todo, onde encontraremos um problema a ser resolvido.

            Seja ela qual for a situação, é necessário deixar claro que o médium estará atuante de forma dedicada, calcado nos ensinamentos e fundamentos recebidos pelo seguimento escolhido, crente de que a comunicação se dá por uma entidade atuante.

            Com o passar do tempo, o médium começa ter a compreensão de que assim como nós nos utilizamos do conselhos e experiências provindas do astral, o astral também se utiliza das experiências e conhecimentos provindos dos médiuns para atuar neste intercâmbio de dimensões. Desta forma realiza-se um trabalho verdadeiramente de equipe onde se une o plano astral (guias) e plano material (médiuns). Esta é a razão pela qual o estudo se faz tão importante.

            Quanto mais o médium estuda para compreender a manipulação energética, as Leis Cósmicas, os níveis vibracionais e os fluxos anímicos, mais seu mental se expande dando assim, para as entidades atuantes, um bom material de trabalho para atuar junto aos encarnados.

            A questão do trabalho anímico constante dependerá da seriedade e do comprometimento com o trabalho astral da casa onde este médium desenvolve sua mediunidade para ser corrigido e direcionado de uma forma segura e posteriormente trabalhar de fato com o astral.

            Dada esta explicação, acho oportuno citar parte de um diálogo onde Xico Xavier disse:

            - No trabalho mediúnico, onde o médium atuante é uma pessoa que se esmera tanto nos estudos como nos cuidados com sua moral e conduta, o resultado será uma comunicação de 60% astral (entidades) e 40% material (médiuns).

            Diante disto, podemos compreender que não há trabalho mediúnico com 100% de atuação astral. E se há atuação anímica durante as comunicações, ele deixa subentendido que também não há trabalho mediúnico inconsciente. (você poderá ler mais a respeito de consciência e inconsciência no nosso site em aulas diversas: O Mistério Mediunidade).

            Espero ter aliviado parte das dúvidas e angústias de muitos médiuns iniciantes ou já atuantes tanto no espiritismo como no espiritualismo.
 

Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá
08.11.12

16 de out de 2012

Falando um pouquinho sobre Erês




Falando um pouquinho sobre Erês

 

            Agora que já passou o dia 27 de setembro e 12 do outubro, datas que comemoramos os erês e nossas crianças, vou conversar um bocadinho sobre os trabalhos realizados nos terreiros.

            Sabemos que os pilares dos trabalhos realizados na Umbanda são: Erês, caboclos e Preto velhos. Essa formação representa exatamente os ciclos vividos pelo homem encarnado, que nasce passando pela fase da infância, amadurece entrando na fase produtiva e ativa e finalmente envelhece, fase que reúne todas as experiências da encarnação que com certeza o ajudou a evoluir e se prepara para retornar a vida real (vida astral).

            Sendo os erês, caboclos e pretos velhos, os pilares dos trabalhos realizados materialmente nos terreiros, fica fácil presumir que tais entidades possuem alto grau de conhecimento, especialidade em manipulações magnéticas e anímicas que influenciam diretamente os encarnados, direcionando-os à uma diretriz evolutiva e que a forma de apresentação não passa de um estereótipo assumido para alcançar o objetivo desejado.    Se é um estereótipo, é porque não é a verdade, ou seja, se eles assumem essa forma plasmada é porque na verdade não são nem crianças, nem índios e nem pretos velhos que foram escravizados. Muitos deles nem passaram por tais experiências em encarnações passadas mas assumem esta forma como uma diretriz que foi pensada para alcançar desde o mais simples e humilde dos filhos até os mais cultos. É fato que dentro de um terreiro, ninguém se sente humilhado, justamente pela forma simples, pela linguagem fácil adotada pelos guias, porém não se enganem os cultos achando que vão lidar com ignorantes, pois se surpreenderão com o alto grau de conhecimento e evolução de tais entidades. Tanto é, que cada vez mais e mais, encontramos fazendo parte do corpo mediúnico dos terreiros, pessoas com formação superior como médicos, advogados, engenheiros, etc.

            Pois bem, dito isto, quero entrar no ponto desejado que são as distorções que ocorre, infelizmente, em muitas casas justamente por ignorância de seus dirigentes e médiuns, nesta fase de homenagens, nas festas de Cosme e Damião, podemos encontrar vários erês brincando com carrinhos de controle remoto, bonecas que ligam e falam mamãe e por ai a fora. Eu pergunto: Qual o objetivo disso? Será mesmo que são os erês que desejam tais brinquedos? Para que servem tais objetos se a Umbanda lida diretamente com energias naturais?

            Respondendo minhas próprias perguntas eu digo:

            - Não há objetivo algum nesta prática, pois tais brinquedos não possuem atuação energética alguma. Isto não quer dizer que os erês não se utilizam de brinquedos em seus trabalhos mas, seus brinquedos, assim como as guias, cachimbos, punhais e demais acessórios utilizados pelas entidades, possuem campo de atuação energética e fundamento. Exemplo disso: O bodoque, também conhecido por estilingue em algumas regiões, são comumente solicitados pelas entidades que exigem mamona para brincar com eles. As entidades que solicitam tal brinquedo é porque brincavam com ele enquanto encarnados? Não, é claro que não. Sabemos muito bem o efeito eficaz que a mamona possui na limpeza energética negativa, tanto é que vários trabalhos pesados de limpeza realizados pelos Exús a mamona é utilizada. A madeira do corpo do bodoque é utilizada como um ponto isolante de energia, assim como a cruz de madeira no rosário do perto velho, como o coquinho na guia do baiano, etc.

            As bonecas de pano, recheadas com algodão, possuem também suas funções energéticas, onde potencializam energias manipuladas pelas entidades, assim como as essências dos caboclos, as ervas usadas pelos pretos velhos.

            Podemos então compreender que tais brinquedos, que de antemão nos parece singelos, e que muitos imaginam se tratar de brinquedos do passado, nada mais são que instrumentos de trabalho, fontes energéticas e de manipulação magnética. E assim, sem perder a essência da energia que trabalham, utilizando de brinquedos, as entidades que se apresentam no estereótipo de erê influenciam, limpam, descarregam e equilibram todos aqueles que diante deles passarem.

             Então porque que várias entidades pedem os carrinhos de controle remoto e bonecas modernas? É fácil responder esta questão, já que todo trabalho é realizado em conjunto com o médium, ou seja, não existe trabalho mediúnico realizado única e exclusivamente pela entidade. Todo trabalho é composto pela entidade em conjunto com o médium (parte anímica) e é a falta de compreensão do médium que querendo agradar, por achar bonito, acaba influenciando nesta escolha.

            Ah, então estou dizendo que os médiuns fingem quando pedem esses brinquedos? Não, e absolutamente não. Apenas estou dizendo que os médiuns acreditam verdadeiramente que a entidade possui este desejo, justamente por falta de compreensão da religião que praticam. Entra aqui a questão do animismo que prometo, em breve, falar a respeito.

            O animismo é o grande bicho papão do médium e muitos não se dão conta do quanto ele é atuante e o quanto influencia diretamente nos trabalhos. Tanto é que cansamos de ver as pessoas dizendo: - Não mexa com Ogum, pois ele é impaciente e muito bravo. E não se dão conta do tamanho do absurdo que dizem.

            Darei abaixo uma representação simples das energias emanadas pelos Orixás, que são os regentes planetários portanto, criadores, sustentadores e mantenedores de tudo que é vivo e de tudo que existe em nosso planeta e assim todos poderão vislumbrar a perfeição desses regentes.

            Imaginem uma planta que chegou a um ponto que produziu sementes. Numa tarde, entrando a boquinha da noite uma forte ventarola balança essa planta derrubando a semente ao chão. Dia após dia, o vento vem remexendo a superfície da terra e das folhas, a passagem dos animais também revolve essa terra com suas patas e assim a semente acaba sendo encoberta. Temos aqui Iansã, Orixá do movimento, que se manifesta para que tudo alcance o destino desejado.

            A semente enterrada entra num processo de espera, sendo cuidadosamente alimentada pela umidade do solo, até que chega o momento de brotar. Temos aqui a influência de Oxúm, Orixá responsável pelo cuidado com a geração da vida.

            A semente se rasga quase que completamente para que as primeiras folhinhas e raízes se criem. Temos neste momento Iemanjá, Orixá que é a fonte da nova vida.

            Alcançado este estágio é necessário que esta tão frágil planta, tenha força e determinação para romper toda aquela terra que a encobriu e proporcionou a germinação e assim apontar para a vida. Temos aqui Ogum, Orixá responsável pela força e determinação, aquele que é destemido e pronto para enfrentar a vida.

            O broto finalmente inicia seu crescimento no sentido vertical e é necessário que se mantenha em pé e equilibrado, para tanto suas raízes sabiamente se espalham lateralmente e se agarram à terra e seu caule possuí um grau de flexibilidade perfeito para suportar os ventos, as chuvas e demais intempéries da natureza. Temos aqui Xangô, Orixá detentor da sabedoria, do equilíbrio.

            Chega então a fase madura, onde os frutos ou as folhas estão prontas para serem consumidas e assim alimentar, curar, abrigar e equilibrar a qualidade do ar para todos aqueles que dependem desta fonte para a vida. Temos aqui Oxossí e Ossãe, Orixás responsáveis pela manutenção da vida.

            Nesta fase também temos as flores com suas cores e aromas, temos as frutas com seus sabores. E aqui encontramos Ibejí, Orixá responsável pela doçura, pela alegria e pela harmonia.

            Vejam bem, neste pequeno processo de germinação de uma simples semente, podemos observar o quão perfeito é o processo criador, o quão elevado é o grau de inteligência dos Orixás e como tudo é voltado para o positivo, para o belo, para a abundância, para a vida e evolução, influenciando todos os seres vivos existente neste planeta. Sendo assim, todos os seres humanos, da mesma força sofrem essas influências.  Que culpa tem Ogum se nos utilizamos da força e determinação emanada por ele de uma forma negativa, e ainda ousando a justificar nossas grosserias, estupidez e ignorância à sua influência? E da mesma forma fazemos isso com todos os Orixás, atribuindo à eles as origens de todas nossas imperfeições. Já é chegada a hora de assumirmos a verdade e delegar os defeitos e qualidades a quem é de direito, ou seja, a nós mesmos. Pois, tudo que vem do pólo Criador é perfeito e positivo.

            Eu sei que no texto de hoje estou mexendo com muitos médiuns que acompanham nosso trabalho e sei também que neste momento estarão pensando no que fazer, pois justamente neste ano o erê pediu um carrinho legal, um relógio, um computador. Como voltar atrás? Passarei vexame! Deixarei dúvidas em relação ao trabalho que realizo? Estes podem ser os pensamentos neste momento.

            Eu digo com toda certeza: Não temam. Corrijam o que está fora do real. Lembre-se de que sempre fazemos as coisas imaginando que estamos fazendo o melhor, porque tudo o que fazemos está de acordo com nosso grau evolutivo e de compreensão e se você leu esta matéria é porque está pronto para agir de maneira diferente. Seja verdadeiro com você mesmo e tenha sempre em mente que a evolução só se dá com a quebra de velhos conceitos, com o experimento do novo e com mente aberta para mudança.

 
Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá
16.10.12

4 de out de 2012

A SENSIBILIDADE E O TRABALHO MEDIÚNICO




A SENSIBILIDADE E O TRABALHO MEDIÚNICO

         Hoje venho para esclarecer a diferença entre ter sensibilidade e trabalhar mediunicamente.
         A sensibilidade, assim como a mediunidade é inerente ao ser humano. Todos somos sensíveis e médiuns. Já no quesito mediunidade, alguns de nós, no processo de reencarnação nos comprometemos a trabalhar mediunicamente buscando nosso caminho evolutivo, engrossando as fileiras astrais direcionadas para tal.
         Sendo assim, é comum que várias pessoas tenham em seu campo vibracional um grau de sensibilidade mais aguçado, captando emoções, situações e desequilíbrios no corpo físico e mental (doenças) das pessoas com quem convivem. Muitas dessas pessoas passam por situações onde se pegam dizendo coisas que desconheciam no sentido de orientar um amigo ou um parente e se espantam com elas mesmas diante de tal fato.
         Não é raro ouvirmos relatos de pessoas contando casos desta natureza quando chegam nos terreiros porém, esta atuação do corpo sensorial não pode ser confundida com o trabalho mediúnico em si.
         A atuação do corpo sensorial limita-se ao campo vibracional emanado pelas pessoas que é captado por aqueles que são sensíveis e é por esta razão que nos pegamos falando sobre assuntos que não temos conscientemente conhecimento.
         Ao constatar tal condição de sensibilidade, muitos buscam explicações geralmente nas religiões, já que creditam tal façanha no místico e no esotérico. E nos terreiros de Umbanda não poderia ser diferente. Recebemos várias pessoas buscando estas explicações e é neste momento que muitas delas recebem o aviso sobre seu dom mediúnico e sobre sua necessidade de trabalhar mediunicamente. Diante desta "descoberta" aliada às suas experiências sensitivas, a pessoa se empolga imaginando que ao adentrar na corrente de trabalho mediúnico já chegará em estágio avançado e que terá facilidade no trato com a espiritualidade, o que acaba sendo de certa forma um grande equivoco.
         É por esta razão que venho explicar, principalmente aos médiuns iniciantes, a diferença entre ser sensível e trabalhar mediunicamente.
         A percepção que vem do corpo sensorial se limita exclusivamente ao atual das pessoas.  Limita-se as experiências, dificuldades e emoções vivenciadas nesta encarnação. Já no trabalho mediúnico, onde a atuação é de responsabilidade de uma entidade, as orientações e direcionamentos, são realizados com conhecimento das necessidades que a pessoa possui para sua evolução. Estas entidades tem acesso a toda história de vida (eterna) daqueles que atendem e todas as questões são avaliadas como um todo.
         Sendo assim, uma doença vivida, pode ser mais que apenas uma fase difícil, pode se tratar de uma lição para que o espírito daquela pessoa evolua e conquiste nesta condição uma compreensão necessária. Diante deste conhecimento, as entidades vão direcionando a pessoa no sentido de se encorajar, aceitar a situação e a se analisar diante de suas atitudes até que alcance seu objetivo. Tal conhecimento não é possível apenas com a atuação do corpo sensorial, onde utilizamos da sensibilidade aguçada para constatar uma situação.
         Portanto, médiuns iniciantes, é imprescindível a compreensão de que mesmo possuindo um grau aguçado de sensibilidade, será necessário o tempo, o aprendizado e o desenvolvimento para se trabalhar mediunicamente. Um processo que acontece para que você aprenda a se ligar, a perceber, a compreender e finalmente a trabalhar com a influência de uma segunda personalidade (guias) ligada ao seu mental.
         Este equivoco de achar que porque se é sensitivo vai iniciar seu trabalho mediúnico com facilidade, frustra muitos dos iniciantes ao constatar que o processo de desenvolvimento não é tão simples quanto imaginavam, ou então, os prejudicam no sentido de desejar que tudo aconteça com rapidez onde tendem a cair no animismo em alto grau, o que prejudicará gravemente seu desenvolvimento mediúnico.
         Atentem-se para isto e se entreguem com paciência e solidez ao seu desenvolvimento, aprendendo passo a passo como atuar juntamente com o astral (guias).
 
Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá
04/10/12

12 de set de 2012

Lúcifer - Portador de Luz




Quando iniciamos uma análise da criação Divina, precisamos partir do princípio de que Deus é Onipotente, Onisciente e Onipresente, ou seja, Ele tudo pode, tudo compreende e está em tudo.

Sendo Deus o Ser Supremo e Criador, precisamos compreender que tudo o que existe vem de Sua Vontade e Criação, e Lúcifer está dentro desta inteligência Suprema.

Nós, os espiritualistas, já compreendemos que as encarnações são experiências humanas que nossos espíritos experimentam como forma de aprendizado, crescimento e evolução, através de inúmeras situações vividas. Lúcifer está diretamente ligado à esse "plano" evolutivo criado por Deus.

Muito ao contrário do que se imagina; que ele é o Tinhoso, o Capeta, o Coisa Ruim, o Satã. Lúcifer é o agente de Deus que nos ajuda a encontrar a Luz (a evolução). Esse conceito de que ele é a representação do mal e dono de tudo que é ruim, veio com o tempo através de distorções de seu papel no plano de evolução do Criador, tanto é, que na Cabala onde se estuda o princípio de tudo, seu papel é perfeitamente compreendido.

No grau evolutivo em que nós, os espíritos ligados a Crosta terrestre, nos encontramos, há muita resistência, teimosia, indisciplina e todas as formas de contrariedades às forças e as leis Divinas de evolução e é ai que as forças de Lúcifer entra em ação. Somos constantemente amparados pela força Divina que nos impulsionará à evolução.

Lúcifer é um anjo, portanto possui uma alta envergadura espiritual, de inteligência extrema e perfeita. Sua missão diante dos filhos de Deus é de suma importância e é necessária uma precisão impar, porque cada situação tem que ser aplicada exatamente na dose correta, para levar o espírito ao crescimento. Essa lição não poderá ser nem um pouquinho a mais e nem a menos, é preciso que seja exatamente na dose que o espírito necessita para chegar a compreensão.

Seu trabalho é muito incompreendido devido as forças que ele manipula para que essa compreensão se dê. Para facilitar o que digo, vou passar para algumas situações onde usarei analogias.

Todos nós gostamos de comer um bom churrasco mas, quem de nós gostaria de matar e destrinchar o boi? Porém, para que possamos comer nosso churrasco é preciso que exista quem o faça, para que possamos ir ao açougue e comprar apenas a carne, já cortada e nas bandejinhas. Lúcifer e seus comandados são os que fazem esse tipo de serviço, necessário para o bem estar de todos.

Outro exemplo disso: Um espírito completamente displicente que não se importa em momento algum em se cuidar, que vive uma vida dependente de sua vaidade, passando por cima da vontade e da necessidade de seu próprio espírito, apenas para ser o "bonzinho" para os outros; quando atinge um grau que o levará a queda evolutiva, Lúcifer atuará e colocará em seu caminho uma pessoa (que por nós, será considerada ruim) que irá assassinar essa pessoa displicente de si mesmo. Ao despertar no mundo astral, após o trauma do assassinato pelo qual passou, ela passará a se cuidar, a tomar cuidado com ela mesma. Foi com certeza uma dura lição, porém necessária para que houvesse esse despertar. O que esquecemos com freqüência é que a vida física são breves momentos diante da vida espiritual. Então, encaramos, essas situações como grandes catástrofes na vida de uma pessoa, uma família ou um povo.

Quantas vezes, nós pais, colocamos nossos filhos de castigo para o seu melhor no futuro próximo? Para a criança, podemos parecer brutos, incompreensíveis, ruins, e etc. Mas, devido nossa maturidade, compreensão de vida e amor que temos por eles, persistimos no castigo, por saber que essa decisão só trará bons resultados para eles.

Lúcifer é assim, aos olhos da criança (nós, espíritos em evolução e imperfeitos) ele é ruim, ele é o algoz mas, aos olhos dos pais (espíritos evoluídos, mentores e Deus) ele é o pai cuidadoso que zela pelo crescimento e evolução do filho.

Saibam que nenhum espírito de Luz, mentor, guia espiritual, ou qualquer comandante de trabalho espiritual, age sem antes consultar os comandados de Lúcifer, porque todos reconhecem seu trabalho e seu valor.

Lúcifer é a sombra que anda pelos caminhos mais obscuros das imperfeições humanas para trazer a luz, a evolução. Ele praticamente não se mostra e seus comandados são conhecidos como os Guardiões. Os trabalhadores da Luz, dizem que ele é uma sombra que anda com uma lamparina na mão e quando é chegado o momento de tirar um espírito de sua prova, ele ilumina esse espírito, o abençoando com a sua Luz e só então, os guias e os mentores se aproximam para direcionar esse espírito, porque neste momento, com certeza, ele estará pronto para compreender um pouco a mais da Vontade Divina.

Um filho quando se coloca em frente de um guia nos terreiros, chorando e lamentando por sua vida, só será ajudado se houver a aprovação dos Guardiões, se essa aprovação não vier, nenhum guia fará absolutamente nada para tirar tal pessoa da situação em que se encontra, eles apenas tentarão através de conselhos e ensinamentos, trazer tal pessoa mais rapidamente para a compreensão necessária da prova pela qual estão passando.

Manter a mente aberta para derrubar conceitos e pré conceitos distorcidos é um caminho sólido rumo à evolução.

Deus é perfeito e é o Criador, sendo assim, não há como existir essa aberração que foi criada pela imaginação de espíritos sem evolução e limitados em sua compreensão. Lúcifer é o anjo que trás a Luz!

Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

 

11 de set de 2012

Compromisso Evolutivo




Como é engraçado e ao mesmo tempo tão previsível ver vocês brigando com o ego a cada minuto.
Eu já não havia alertado, para que vocês não colocassem a culpa do seu pior no próximo?
Ao se ligarem na auto piedade, vocês fazem uma conexão mental com estes que ainda estão acorrentados pelo egoísmo.
Escolha a energia com a qual vocês querem ficar, por que o cerco esta se fechando a cada momento.
Médiuns todos são, trabalhar mediunicamente depende do amadurecimento espiritual e individual do Ser.
Porque trabalhar o orgulho e a vaidade?
Por que este é o ponto responsável pela derrota de muitos.
Um determinado homem chega ao terreiro para ser auxiliado, mal ele sabe que ali ele receberá a oportunidade de abrir o seu mental para o compromisso já assumido no astral antes mesmo de sua encarnação.
Passado algum tempo se manifesta a necessidade de adentrar na corrente mediúnica.
Após seu acolhimento, começa então o processo evolutivo de colocar freio nos seus instintos negativos, medos, ansiedades e inseguranças.
Então temos um colaborador em plena sintônia com tudo que é nescessário conhecer de si próprio, para se operar o processo de reforma íntima .

Guiado e dirigido por seu orgulho e vaidade, começa a ver defeitos em tudo e todos a sua volta.

Sua mente viciada em negativismos, abre seu mental pra todo tivo de maledicências.
Cria estórias e chega a vivênciar as mesmas, como se fossem verdades indissolúveis.
Eu pergunto: Cadê aquela energia maravilhosa que te fez vislumbrar um caminho mediúnico cheio de realizações?
O terreiro e as entidades que eram seu porto seguro e o caminho de realizações passou a ser seu algoz?
Qual a veracidade de tudo que te aflige?

Sucumbir ao orgulho e a vaidade e ficar no comodismo aparentemente seguro e uma escolha.
O que não e aceitável é que se jogue sua frustação como reponsabilidade de outros.
Evoluir dói, mas é uma escolha individual.

Exu Lodo .

Mensagem recebida pela médium mãe pequena Solange Villela

10.09.12

O Mestre e o Aluno - Você e seu auto conhecimento - Aprendizado




Inicio a conversa com a mesma frase de outrora : Ninguém chega ao Pai (Eu Divino, evolução), sem passar por mim (Eu anterior – auto conhecimento).
Já foi percebida a quantidade de situações e provas no caminho, a fazer com que se conheça melhor, que olhe ao seu próprio umbigo no intuito do aprendizado e melhora de atitudes e maneira de lidar com as próprias emoções, e com as adversidades do convívio em grupo.
As situações onde se coloca em prova o orgulho, a vaidade e o ego, têm sido a cada dia mais presentes, e como era de se esperar de qualquer lição, as provas vão se dificultando.
No entanto, há situações que dificultam a própria prova, insistem em não compreender e enxergar a situação como ela realmente é, fazendo com que a prova se torne muito mais difícil do que realmente é, atribuindo ao Astral ou Cosmo tal dificuldade, quando em verdade são vocês mesmos que a dificultaram.
Prestem atenção!
O Mestre só chega quando o aluno está pronto. As provas são de acordo com a capacidade de aprendizado e o momento de preparo de cada aluno.
Isso não pode ser confundido com as situações onde vocês por falta de compreensão e insistência em se manter na zona de conforto, se recusam a enfrentar as situações de olhar ao próprio umbigo, dificultando sobremaneira o aprendizado e consequentemente aumentando as dores, gerando ainda mais ansiedade.
Já é sabido que tudo é energia.
Assim, da mesma maneira que optam pelo tipo e qualidades de alimento que consomem, também optam por qual energia ou grau energético que se ligarão.
Com o trabalho e desenvolvimento mediúnico, é colocado a disposição, uma gama maior de energias e situações onde podem optar a qual se ligar.
Com o compromisso do sacerdócio, é obrigatoriamente colocado a disposição uma gama ainda maior de ligação, pela necessidade de aprendizado e de condutas que o compromisso indubitavelmente exige.
Cada escolha gera uma consequência.
Ligando-se a energia de comprometimento de melhora e autoconhecimento, passarão por situações onde serão provados e como todo e qualquer curso, a vida ensina na pratica.
O aprendizado é algo que se conquista e nada nem ninguém tira de vocês.
Isso acarreta mais responsabilidade.
Dessa forma, estarão cada vez mais ligados e passando por cada prova percebendo que a vida flui, os pensamentos fluem, o sucesso e a sensação de “estou no caminho certo” também. E ligados, se sentem fortes, capazes e protegidos, continuamente.
A sensação de força, êxito e sucesso é algo impressionante e esplendoroso.
E isso também acarreta responsabilidade – a de assimilar as lições de tal modo, a não insistir em erros antigos, e se precaver de si próprio, mudar hábitos arraigados, hábitos esses que são tão latentes, que o trazem de volta a zona de conforto, a ficar onde está, a não ter mais trabalho, a reclamar demais.
Tais hábitos e vícios são latentes, e há que se ter força e persistência para vencer a si próprio.
A cada prova aprendida, a cada prova assimilada, estão cada vez mais ligados ao fluxo energético do aprendizado continuo, do autoconhecimento, que os faz manter um padrão vibratório elevado, o que faz com que tenham mais imunidade a ataques e situações de emboscada para o fracasso, e ciladas de retorno ao poço de vaidade, orgulho exaltado e ego ferido.
No entanto, situações que outrora eram inocentes, e nada causavam na autoconfiança de vocês, e que não influenciavam no caminho, hoje são diferentes, a consequência de persistências em erros antigos, hoje são maiores.
Para melhor ilustrar, é como se a cada prova aprendida, tivessem que subir um degrau.
Quando a prova vai ficando difícil, se não tiverem força de segurar o lado negro e mimado de vocês, a vontade de voltar pra zona de conforto, os derrubam, e como subiram degraus, a queda pode ser mais dolorosa.
As mesmas “brechas” de ontem, hoje têm consequências mais dolorosas.
Já perceberam que uma vez ligados ao fluxo energético do comprometimento e do aprendizado, se afastam e se desligam por provas que vocês mesmos se colocam, ante a extrema necessidade e facilidade de voltar a zona de conforto e de se ligar ao que os paralisam, dispensando qualquer forma de esforço na melhora individual. Isso os afasta dessa ligação com essa energia em curso, superior e elevada, do aprendizado e evolução.
Há situações que serão provados sim, a cada dia mais. Mas há outras que vocês mesmos, pela absoluta necessidade e pelo fato de estarem arraigados a velhos hábitos, querem voltar ao estado anterior de conforto, e se recusam a mudar velhos padrões. E a isso, dão o nome de provas, situações, demandas, onde na verdade nada mais é do que a situação de esperneio, e comodismo em não querer mudar.
Isso faz com que se liguem a outro tipo de energia, se afastem do caminho que se comprometeram.
E a volta, é mais dolorosa, vocês se sentem fracassados, e isso gera decepção, onde vocês mergulham num ciclo vicioso que só os afasta do caminho, além de baixar suas guardas e proteção.
O erro de ontem, tem consequências maiores hoje.
Ninguém exige santidade, nem perfeição, mas sim atitudes de acordo com o que já assimilaram e conquistaram.
Antes, era mais fácil voltar a essa ligação. É como se estivessem num degrau mais baixo, sendo mais rápida a subida no local que estavam.
Mas, hoje, por estar no degrau do conhecimento mais alto, uma queda, alem de dolorosa, acaba gerando dificuldade em subir mais degraus, demora mais.
O exemplo de degrau e queda é meramente ilustrativo, sendo certo que tudo é relativo: o que vocês veêm como 10 degraus, cá pode equivaler a meio degrau, e para Gaia milímetros.
Mas cada milímetro percorrido, deve ser valorizado.
Então, há sim a obrigação e necessidade de orai e vigia constante.
Namastê!

 
Mensagem recebida pela mãe pequena Aline Bizotto
(Intuição do Caboclo 7 ondas e do mestre Zarthu)
11 de agosto de 2012 – desde às 06:15

2 de set de 2012

Foto: COMUNICADO IMPORTANTE!!!

Queridos amigos do Templo TUCAL, venho hoje comunicar que estamos de mudança. Nosso contrato com o salão onde estavamos venceu, então encontramos um lugar melhor e em melhores condições para efetuarmos nosso trabalho.
Estamos trabalhando duro para inaugurar o novo espaço no dia 15.09.12, situado na Av. Sapopembra 1010 sobre loja. Sendo assim, o trabalho do dia 08.09.12 será adiado.
Nossas portas estarão abertas para recebê-los. 

Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá
COMUNICADO IMPORTANTE!!!

Olá amigos e seguidores do Templo de Umbanda Caminho da Luz, hoje venho comunicar que  mudamos de endereço, agora estamos na Av. Sapopemba, 1010 Água Rasa. Estamos trabalhando muito para conseguir inaugurar o novo espaço no dia 16.09.12 domingo com início as 15:00 horas, por essa razão o trabalho do dia 08.09.12 será adiado.
A familia Tucal está muito feliz com essa mudança pois estaremos num espaço muito melhor, onde poderemos nos acomodar com mais conforto tanto para nós como para nossos amigos e seguidores. Nossas portas estarão abertas para recebê-los com carinho.

Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

3 de jul de 2012

Aula do Caboclo 7 Ondas

A importância do autoconhecimento no desenvolvimento e na prática mediúnica.


Uma das máximas de Jesus – “amai-vos uns aos outros como a ti mesmo”.

Dessa máxima concluímos que não é possível amar ao outro, se não amarmos a nós mesmos.

E esse amor a nós mesmos não é o amor no sentido egoísta, mas sim no sentido verdadeiro, com respeito à nossa individualidade mesmo enxergando as nossas mazelas.
Jesus já dizia: ninguém chega ao Pai (evolução, ao Divino) sem passar por mim (EU interior).

O significado da expressão “passar por mim’, é  a coragem de vivenciar a experiência do autoconhecimento.

Feliz e sábio aquele que tem a coragem se encarar, se conhecer, se aceitar e se amar.
Uma das melhores e mais admiráveis virtudes no ser humano:

        Autoconhecimento
        Autocontrole (com ênfase em frear seus instintos negativos e controlar as emoções)

Aqui é o início da triagem mediúnica, onde é observado no indivíduo as virtudes acima e o quanto é dotado de:
        Amor-próprio

        Auto-valorização
        Auto-confiança

É de grande importância a coragem de se encarar, se olhar no espelho e se domar.

Para que isso aconteça, é necessário frear o próprio orgulho, sua vaidade e controlar seu  ego

Ou vocês achavam que o que se verificaria no indivíduo para a triagem mediúnica seria a caridade e o amor ao próximo?
Ora, em verdade vocês pouco sabem sobre caridade, e se não se amam e nem se respeitam, como podem então falar de amor ou caridade para com o próximo?

O próximo para vocês, não é o próximo a que se referia Jesus no Evangelho, e sim a pessoa afim que está próxima a vocês no convívio dentro do mesmo núcleo familiar ou social.
Chega de auto piedade e de autocomiseração.

Não há tempo a perder em olhar para o próprio umbigo e ter pena de si próprio;  isso é comodismo e paralisa a caminhada e evolução de vocês.
Importante esclarecer que essa atitude bloqueia o chacra umbilical, e conseqüentemente o chacra cardíaco, pois ambos trabalham juntos, com o centro de todos que é o chacra coronário.

Nenhum tempo deve ser perdido.
A expressão popular “olhar para o próprio umbigo”, tem significado que merece reflexão, e é utilizada para fazer referência a atitude de egoísmo  onde a pessoa só pensa em si própria e nos seus problemas, potencializando-os. Essa atitude vai resultando no bloqueio do chacra umbilical.

Mas já que vocês querem olhar para o próprio umbigo, que seja com coragem e amor como foi dito no inicio desse texto, no intuito de encarar suas próprias mazelas.

Quando  modificamos a nossa atitude e paramos de olhar para o nosso umbigo com intuito individualista e egoísta, passando a nos encarar com coragem e amor, nos enxergamos como seres falhos, com várias arestas a aparar, vários pontos a melhorar,  a sensação é libertadora, já que reconhecemos de verdade, como realmente somos, tendo ciência do que em nós é necessário ser melhorado.
Essa mudança de atitude,  ajuda a gradativamente desbloquear seu chacra umbilical, permitindo que o mesmo volte a sua movimentação natural, o que permitirá a sintonia desse chacra com o chacra cardíaco resultando na harmonização de ambos.

        Chacra umbilical – absorve e capta energias de egoísmo, mesquinhez.

        Chacra cardíaco – capta e absorve sentimentos mais  elevados, e em sintonia com o chacra umbilical, capta as energias vindas desse chacra (de aceitação e coragem).

O resultado com a coragem dessa experiência, é a auto-confiança e o amor próprio, que vai resultar na firmeza e na segurança do individuo no seu dia a dia, inclusive no seu desenvolvimento e prática mediúnica.

O ser humano é o resultado de vários fatores e experiências, tanto na  vida espiritual como na material, um conjunto que visa o equilíbrio sempre.

Assim, os dois chacras (umbilical e cardíaco) trabalham em conjunto, e quando harmonizados, vibram em freqüência  que facilitam a comunicação mediúnica.

 Dessa forma, essa nova realidade do autoconhecimento, refletirá no desenvolvimento mediúnico, já que a autoconfiança e a firmeza permitirão que a comunicação do médium com os guias flua de maneira mais clara, permitindo ao guia que tenha controle do mental do médium.

Resumo – autoconhecimento – aceitação – amor próprio – coragem de vencer a si mesmo – equilíbrio – na vida , no dia a dia e no desenvolvimento mediúnico.

Aula do Caboclo 7 Ondas
Mãe Pequena Aline Bizotto

6 de jun de 2012

Criações mentais

Segundo nos relatam as inteligências extrafísicas, o planeta Terra é um organismo vivo e pulsante; interage com as inteligências encarnadas e desencarnadas, as quais irradiam pensamentos ininterruptamente. Esses pensamentos manifestam-se ora como ondas, ora como raios, que partem da fonte geradora e produzem uma espécie de associação, mais ou menos duradoura, com outras imagens mentais ou formas-pensamento. A durabilidade dessa associação é proporcional à qualidade e à intensidade da força que mantém coesos tais pensamentos afins.
Entendemos, a partir daí, que os pensamentos de ordem superior, ao circularem em torno da atmosfera psíquica do planeta, compõem um cinturão de correntes mentais que abastece as inteligências encarnadas e desencarnadas que se sintonizam com elementos dessa natureza.
Assim é que artistas, sensitivos, cientistas, médiuns e todos aqueles que mantêm uma atividade mental superior, desenvolvendo seus raciocínios e buscando inspiração para qualquer tipo de tarefa com objetivos nobres, acabam por se sintonizar com correntes mentais de ordem elevada. Pietro Ubaldi foi provavelmente quem melhor definiu essas associações mentais superiores, denominando as noúres. As noúres refletem os pensamentos de todos os seres elevados, o conhecimento universal, e constituem-se na maior fonte de inspiração superior para os habitantes do planeta Terra. Processo análogo ocorre com os pensamentos considerados inferiores.
Fundamentados em informações dos espíritos e de diversos pesquisadores encarnados, sabemos da capacidade de emissão da mente humana, que se define em termos qualitativos, por meio das vibrações, ou em relação à sua freqüência, que pode ser alta ou baixa. Por outro lado, as ondas formadoras das correntes de pensamento, que circundam a aura magnética dos seres humanos e do planeta, são tão mais fortes quanto mais fortes e elevados forem os pensamentos e sentimentos que se mesclaram no ato mental. Sendo assim, tanto a classificação ou a qualidade quanto a duração das ondas mentais estão subordinadas aos sentimentos e à elevação de intenções ou propósitos da mente geradora. As correntes de pensamento alcançam maior freqü.ncia vibratória à medida que ficam impregnadas do desejo de ajudar, esclarecer, progredir e amar.
Diante do exposto, fica patente que o poder dos indivíduos que buscam o desenvolvimento espiritual e que trabalham pelo bem, pelo amor e pelo progresso supera grandemente a condição daquelas mentes enfermiças que ainda não despertaram para as noções de melhoramento, renovação e aperfeiçoamento. Lembro-me de Gandhi, quando afirmou que “Se um único homem chega à plenitude do amor, neutraliza o ódio de milhões”. Desenvolvendo a reflexão do Mahatma, talvez possamos concluir que, se milhares de indivíduos compreenderem que podem expressar nem que seja uma diminuta parcela de amor, em forma de cooperação, solidariedade, honestidade, lealdade, neutralizaremos o ódio daqueles que ainda permanecem ignorantes das leis da vida.
Uma das coisas que determina fortemente a elevação da freqü.ncia vibratória do pensamento é o amor desinteressado.
E é claro que o contrário também é verdadeiro: o egoísmo, as paixões aviltantes, a falta de sintonia com os elementos de progresso produzem um rebaixamento das vibrações dessas correntes mentais. Elas passam a formar uma espécie de egrégora ou conjunto de formaspensamento que gravitam muito próximo à esfera física.
Aqueles seres que sintonizam com a mágoa, a tristeza, a indiferença, o egoísmo e os interesses mesquinhos captam dessa egrégora elementos mentais que abastecem esses pensamentos e sentimentos desorganizados e desinteressantes para o progresso humano.
Dessa maneira, deduz-se quanto é valiosa a reeducação dos impulsos da alma. Selecionar o alimento mental passa a ser tão ou mais importante que escolher o alimento material. Conhecer-se para detectar a fonte das emoções desequilibradas passa a ser condição sine qua non para uma vida digna de filho de Deus, para uma existência feliz. Sentimentos e emoções de baixo teor, como os descritos no parágrafo anterior, serão detectados pelo ser que busca espiritualizar-se, com a máxima prontidão possível, a fim de que sejam compreendidos e transmutados.
Esse exercício possibilitará uma plantação de qualidade, com uma colheita de resultados compensadores.

Imersos num mar de noúres

Conhecendo um pouco mais sobre o mecanismo de funcionamento das criações mentais, podemos compreender onde se localiza a fonte de inspiração para escritores, oradores, médiuns, cientistas e outras pessoas que têm o interesse de esclarecer, incentivar o progresso e impulsionar a evolução humana. Fica mais claro como ocorre o trânsito das informações, chamadas pelos encarnados de inspiração.
Além de desenvolverem raciocínio próprio, ocorre também que tais indivíduos, durante os momentos de desprendimento do corpo ou mesmo na vida intrafísica, conseguem conectar-se às correntes mentais de ordem superior que circundam a aura do planeta. São médiuns, muitas vezes inconscientes do que se processa nesse instante sublime de conexão com os valores e os conhecimentos arquivados na memória astral do mundo.
Eis por que encontramos muitos pensadores de boa-fé sejam escritores, médiuns, cientistas… – que, ao descrever suas teses, fazer abordagens ou exprimir pensamentos pela linguagem escrita ou falada, parecem valer-se de pensamentos e até de frases inteiras já vistos, expressos ou escritos. Isso ocorre porque se sintonizaram com as correntes mentais circundantes da aura magnética planetária e beberam diretamente da fonte de inspiração universal.
É tola, portanto, a vaidade daqueles que teimam em se considerar “os primeiros”. O conhecimento está disponível a tantos quantos, imbuídos do impulso de buscar o progresso, a beleza, o bem, o amor, consigam colocar-se em sintonia com as ondas sutis que trafegam no espaço infinito, provindas dessa “biblioteca” sideral, depositária de tesouros inestimáveis. Sem deixar de considerar a capacidade individual e a influência dos benfeitores espirituais, essa a razão pela qual mais de uma pessoa ao mesmo tempo, em diversas partes do globo, reivindicam uma descoberta ou a autoria de uma obra.
Nesses momentos de conexão, em que a mente encarnada ou desencarnada está sintonizada com estudos e idéias de âmbito universal, não ocorre apenas a inspiração de determinado espírito que a assiste. Ao se ligar ao conteúdo esparso nas ondas de pensamentos superiores, a mente absorve indistintamente o conhecimento registrado nos arquivos sutis da luz astral. Por isso é que muitas vezes identificamos pontos de vista exatamente iguais – expressos nas psicografias, por exemplo –, uma vez que, em estado de transe, o sensitivo expande sua consciência e se abastece diretamente dessa fonte inesgotável. Como existem outros sensitivos e muitos médiuns, escritores, artistas, cientistas e pensadores que também se elevam vibratoriamente às freqü.ncias de natureza superior, todos se acham, em dado momento, mergulhados no mesmo oceano de idéias.
Nesse contexto, trabalhos, raciocínios, deduções e interpretações sob sua responsabilidade dificilmente poderão ser considerados originais, no sentido estrito do termo, ou de autoria exclusiva, pois que a idéia central provém de um manancial comum.
Levando-se em conta a realidade dos fenômenos psíquicos inerentes a todos o humanos, encarnados e desencarnados, podemos entender melhor o pensamento do codificador do espiritismo. Allan Kardec chama de universalidade do ensino dos espíritos o fenômeno pelo qual médiuns ou pessoas diferentes, sem se conhecerem, apresentam trabalhos e raciocínios, mensagens e idéias comuns, muitas vezes empregando palavras e até frases inteiras iguais. É que a fonte de inspiração foi a mesma.
Aliás, ele via isso com bons olhos, tanto que estampou esse critério como selo de aprovação para novos princípios integrarem-se ao corpo da doutrina que inaugurava.
Uma vez conectados às correntes mentais superiores, em estado de transe ou de expansão da consciência, tais indivíduos, além de inspirados diretamente por entidades extrafísicas, alcançam esses domínios da mente, os registros mentais, e neles mergulham durante o processo de desdobramento de suas atividades, no desenvolvimento de sua obra.
Essa visão mais ampla do processo de inspiração contribui para compreendermos fatos como o que se vê ao analisarmos as pregações de Jesus, que pareceu repetir alguns ensinamentos vindos antes dele, atribuídos a Buda, Sócrates e outros representantes do pensamento evolucionário da humanidade. É que estavam ligados mentalmente à mesma fonte sublime, na qual abasteciam suas mentes e de onde extraíam sua mensagem. Algo semelhante encontra-se nos escritos de Allan Kardec, quando o eminente Codificador expressa determinados pensamentos e raciocínios encontrados em textos e trabalhos desenvolvidos por predecessores. Fato idêntico ocorre com médiuns que canalizam mensagens, e depois encontramos os mesmos elementos presentes, ainda que de modo esparso, em outros escritos. Muitas vezes, por ignorar o processo mental de sintonia fina no qual se encontram em momentos de transe, deduzimos ser plágio. Desconhece-se que as correntes de pensamento superiores podem ser acessadas mediante maior ou menor concentração mental, especialmente por causa da identidade de interesses.
No processo mediúnico, por exemplo, o médium não está somente em sintonia com o espírito que o assiste no momento; além disso, apresenta suas faculdades e paracapacidades mais dilatadas, de maneira abrangente. Isso faculta ao sensitivo captar informações dos registros siderais nos quais estão impressos pensamentos e raciocínios, o que, evidentemente, acontece também entre os escritores e artistas. Ainda que não sejam espíritas ou não se entreguem conscientemente ao exercício da mediunidade, tais indivíduos são médiuns inspirados, na acepção mais ampla, e o produto de seu trabalho, que pode parecer ao ignorante ser mera cópia, atesta a existência de uma fonte de inspiração universal, sublime, extracerebral.
Períodos iguais ou semelhantes, frases completas e até textos inteiros apenas com leves diferenças são traduzidos em mensagens de encarnados ou desencarnados, retratando a realidade daquilo que Salomão disse há mais de 2.300 anos: “Nada há de novo debaixo do sol” (Ec 1:9)
Evidentemente, não se pode negar que há indivíduos que agem de má-fé, copiando trabalhos alheios e tomando a si sua autoria. Ou, ainda, elaborando peças que mais parecem colchas de retalho ou colagens de trechos reunidos aqui e acolá, remendando passagens extraídas de meia dúzia de livros, que, com termos ligeiramente modificados, não passam de plágio mesmo. Em vez de aspear citações, apresentam a nova redação – não raras vezes de pior qualidade que a original – como fruto de sua elaboração.
Entretanto, conhecendo a realidade das correntes mentais, talvez não seja tão difícil distinguir entre os inescrupulosos e aqueles que têm acesso aos conteúdos sutis.
Em muitos casos, basta pesquisar a biografia do sujeito em questão, a contribuição que tem oferecido às comunidades de que participa, suas ações concretas, a “folha de serviços prestados” ou o conjunto da obra. Foi Jesus quem deu a dica: “Conhece-se a árvore pelos seus frutos” (Lc 6:44). Como deduzir que age com deslealdade aquela pessoa, o médium, artista ou cientista, que demonstra, pelos seus atos, possuir valores nobres, dignidade e um conjunto de serviços sobejamente reconhecidos? Robson Pinheiro Introdução do livro ENERGIA de sua autoria.

Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

25 de abr de 2012


O que é compreensão?

O que é acalanto?



                   Em tempos onde há súplicas, choro e ranger de dentes; toda forma de lamento e de desesperança, a energia Suprema está sempre presente acolhendo, compreendendo e atuando na busca de dias melhores para os filhos encarnados, permitindo assim, a orientação e o direcionamento para a verdadeira libertação como sempre o fez. Porém, que tenham olhos para ver e ouvidos para ouvir. Os filhos recebem a oportunidade de se libertar das ilusões e descobrir assim, seu potencial criador. Assim como crianças que são chamadas a se recolherem às suas casas para cumprirem seus afazeres, vejo vocês espernearem toda forma de “birra”, colocando-se sempre como vitimas e os são de si mesmos.

         Entendo que a memória no corpo carnal é curta, mas a mais de um ano, vocês vêem sendo orientados e não faltam soldados para auxiliá-los nesta empreitada. Eu mesmo falei para vocês na aula que dei: - O pior de vocês vai vir à tona! Não para que vocês se digladiem uns com os outros, mas para que vocês trabalhem sua mudança interna, se conheçam efetivamente e deixem sua essência vir à tona.

         Com isto vocês conseguiriam fazer escolhas conscientes e poderão definitivamente ser soldados de valor. Durante muito tempo os médiuns acreditaram em mistérios e ficavam se questionando: - Como os guias faziam para auxiliar e fazer as mudanças? Sempre perguntas e respostas incoerentes, era o que recebiam. Hoje convidados para sentarem-se à mesa do banquete, vejo filhos fugindo deste convite, buscando ilusões. Não desprezem a oportunidade de compreender e fazer parte deste universo, que se estende a vocês neste momento. Deixem de ser marionetes do inconsciente coletivo. Como diamante bruto, vocês precisam ser lapidados, e o resultado com certeza será surpreendente.

Tudo e o todo estão fluindo no ritmo evolutivo do amor.

Não confundam momentos de reflexão e libertação de energias condensadas, com dor ou tristeza. Estamos na hora do parto e vocês estão tendo a oportunidade de renascer.

Dar a luz é um dos momentos mais difíceis da criação, porém, um dos mais sublimes.

Muitos serão os chamados e poucos os escolhidos, e como vocês mesmo já sabem: - A TROPA PASSA!



Exu do Lodo.

25.04.12

Pela Médium: - Mãe Pequena Solange Villela