28 de set de 2011

Saravá a Ibejada

Salve São Cosme e Damião



            Hoje é dia de festa principalmente no meio Umbandista, todas as casas estão em festa para homenagear a Ibejada. Os Congás se enchem de doces e cores. É a representação máxima da alegria, da inocência e da pureza de sentimentos.

            Não é segredo para ninguém o estereótipo infantil adotado por essas entidades, porém os Umbandistas reconhecem a dimensão que a energia desses trabalhadores atinge. Trabalhadores exímios em tratamentos emocionais, harmonização de ambientes e curas.

            Suas cores representantes são o rosa clarinho, o azul clarinho e o branco. Seus campos vibracionais naturais são parques, jardins, beira mar e mata também. Orixá sincretizado pelos santos católicos São Cosme e São Damião. Representam o início da vida ou o doce recomeço cheio de esperança.

            Infelizmente é uma linha de trabalho onde a vaidade de muitos dirigentes e seguidores, criam um campo extenso para animismos e misticismos com um exagero de apetrechos desnecessários que satisfazem exclusivamente a vaidade da casa e seus médiuns.

            É óbvio que existem alguns brinquedos que podem ajudar na atuação energética no momento dos trabalhos, assim como são usadas as guias, essências, etc. São eles:- Brinquedos feitos de madeira, onde os erês podem descarregar cargas negativas tiradas de pessoas ou ambiente, pois a madeira funciona como isolante. Brinquedos de ferro, que podem ser usados como condutores energéticos potencializando a energia emanada pelo erê. Os de pano, usados exatamente como os de madeira. E os brinquedos feitos de elementos naturais como sementes, pedras, etc., que dependendo do material pode irradiar, descarregar, anular, condensar e potencializar energias. E finalmente a bexiga, que com o deslocamento do ar no seu estouro, age exatamente da mesma forma que a queima da fundanga, deslocando da aura das pessoas e ambientes larvas astrais, miasmas e formas pensamento. A diferença é que a fundanga age com o elemental salamandra e na polaridade negativa e a bexiga com o elemental silfo e na polaridade positiva.

            Agora vamos falar um pouquinho sobre a manipulação energética desta linha de trabalho.

            Ao contrário do que muitos imaginam, os erês são entidades de grande evolução, conhecedores das magias e fluxo energético. Seus doces são utilizados como poderosíssimos condutores energéticos, onde os fluídos manipulados do açúcar facilitam o direcionamento de seus trabalhos. Essa energia iguala-se a energia manipulada por outras entidades que se utilizam da cachaça, mas na polaridade positiva. Tanto no açúcar como na cachaça, o que é relevante é a origem disso tudo, ou seja, a cana de açúcar, de onde a matéria prima com suas propriedades é utilizada.

            Todos os elementos e alimentos advindos da cana de açúcar, manipulados pelas entidades, através dos fluídos liberados, transformam-se numa espécie de fio condutor de ligação com a entidade atuante por onde a mesma alimenta energeticamente a pessoa que está sendo atendida ou a situação com a qual estão atuando; desembaraçando, desamarrando, harmonizando, curando e fluidificando. São verdadeiros magos em suas manipulações energéticas.

            Podemos salientar que no campo da cura, tanto no corpo físico como no corpo astral, essa continuidade energética mantida através da manipulação dos fluídos trabalhados através dos doces (açúcar) é o agente principal para o bom êxito, já que os que são atendidos recebem diariamente uma dose de energia positivada em prol de sua cura ou da resolução de seu problema. A continuidade dessa ligação se dá até o momento em que o doce se desfaz ou deteriora. No caso da cachaça, a atuação termina assim que ela perde suas propriedades na evaporação (quando deixa de exalar o cheiro natural da cachaça).

            Costumam resolver inúmeros problemas relacionados a empregos e problemas judiciais, o que muitos imaginam ser o campo de atuação restrito à Xangô, pois os erês tem maestria nesses casos.

            Com uma margarida nas mãos ou um ramo de hortelã, resolvem casos de difícil solução de obsessão ou possessão, encaminhando adequadamente as entidades obsessoras, e ainda, reorganizando o equilíbrio e alinhamento dos chácras, facilitando o processo de cura da pessoa, proporcionando força para continuar sua jornada.

            Seu grande segredo está justamente na falta de vaidade e de orgulho, por essa razão são tão poderosos e seus atos não são alcançados por outras entidades. Na pureza, na inocência do amor incondicional, na falta absoluta de qualquer barreira preconceituosa, com a alegria reinante o tempo todo; positivando assim tudo o que tocam.



Abraços e Luz,

Mãe Solange de Iemanjá

27.09.11


Nenhum comentário:

Postar um comentário