15 de set de 2011

As Dimensões e Polaridades

As Dimensões e Polaridades



            Durante a aula do Exú do Lodo, através da mediunidade da Mãe Pequena Solange Vilella, foi levantada a questão das dimensões. Ele, durante um desdobramento de sua médium, a levou para uma cachoeira. Consciente de que estava em companhia de seu guardião, a médium observou o local:-

            - Eu me vi num lugar que era uma cachoeira, no meio de uma mata. Só que ao invés de haver a queda d’água, existia a queda de lama e lodo. O lugar parecia sujo, sombrio e onde deveria ser a lamina d’água era puro lodo. Neste momento ele dizia para mim:

            - Olhe para lá e preste atenção. Indicando a queda de lama. - E, eu olhava e via aquela lama descendo.

E mais uma vez ele disse: - Preste atenção!

            - Foi só então que aos poucos eu percebi que ao invés de lama começou a surgir água e o local se transformou numa cachoeira normal com água limpa.

            Este desdobro ocorreu para auxiliar a compreensão da médium para a aula que seria realizada no terreiro por ele, Exú do Lodo, onde mostrou claramente que tudo existe nas três dimensões:- Do astral inferior (negativa), do plano físico (material) e do astral superior (positiva). Sendo assim, todas as coisas e ambientes coexistem nas três dimensões.

            Diante deste ponto conseguimos compreender outro tema, desta vez levantado pelo Caboclo 7 Ondas, em aula através da mediunidade da Mãe Pequena Aline Bizotto, sobre a utilização de flores em trabalhos de feitiçaria, ou seja, para o mal.

Inicialmente, podemos pensar que isso possa parecer insensato, já que flores e frutos são elementos naturais e magísticos altamente positivados energeticamente.

Rapidamente o Caboclo 7 Ondas explicou que isso é possível, quando entidades que detêm um grau de conhecimento maior, consegue inverter a polaridade energética das flores. Disse também que feita esta inversão de polaridade, a flor passa a emanar um perfume inebriante que atinge além da pessoa que o feitiço foi direcionado, os espíritos sofredores (eguns).

             Desvendada a questão da coexistência das coisas e ambientes nas três dimensões e a questão da inversão de polaridade das flores, o Caboclo Cobra Coral me ajudou a vislumbrar como seria possível esse processo de feitiçaria e as consequências que a falta de conhecimento pode acarretar na vida de um consulente que recorre aos cuidados de um terreiro de Umbanda sem preparo e conhecimento; desvendando assim, outra questão que atinge muitas casas, que são os casos de obsessões crônicas por sofredores.

 Abaixo descreverei um processo magístico para maior compreensão. Para isso citarei um trabalho muito comum feito em casas duvidosas e por pessoas de índole igual, que é o tão conhecido trabalho de amarração.

Hipoteticamente uma jovem vai a uma casa de moral duvidosa e, diante de uma entidade maligna, que se utiliza do nome de uma Pomba Gira, pede para que ela amarre o seu amado. A tal entidade solicita elementos magísticos que suprirá seus desejos energéticos e também o que utilizará para efetuar o intento da amarração. Entre outros elementos magísticos essa entidade pede certa quantidade de flores.

Tudo entregue conforme o pedido, a entidade em questão, inicia seu trabalho justamente pela inversão de polaridade das flores onde é retirado o perfume que inebria e entorpece o mental de sua vítima. Esse processo vai dificultar a capacidade de raciocínio dessa pessoa, vai fazer com que ela não tenha clareza em seus pensamentos. Por esta razão é tão comum, nestes casos, ouvirmos familiares e amigos dizendo: - Todos nós já o alertamos, já fizemos de tudo mas, parece que ele não enxerga o quanto está sendo prejudicado com esse relacionamento.

Não podemos nos esquecer de que o perfume inebriante também atrai os sofredores, que ficam próximos da pessoa que está sofrendo o feitiço, seduzidos pelo perfume inebriante destas flores.  

Com o passar dos dias a vítima além da dificuldade de raciocínio começa a ser desvitalizada energeticamente, devido a proximidade dessas entidades sofredoras que passam a acompanha-la dia e noite.

Iniciado todo este processo de feitiçaria e com a utilização dos demais elementos magísticos solicitados, a entidade maligna alcança seu intento, infringindo a Lei de Livre Arbítrio, forçando a união da vitima com a pessoa que recorreu aos seus trabalhos.

Como a Lei de Zambi jamais falha, um dia, mais cedo ou mais tarde, a vítima acabará em outro terreio, onde será alertada sobre a necessidade de tratamento.

Um terreiro, onde a moral é acima de qualquer suspeita, jamais falará para a pessoa que ela está sendo vítima de um trabalho de amarração, já que esta conduta servirá apenas para lançar mais discórdias e mágoas. A pessoa será apenas avisada da necessidade de se tratar e orientada no que deverá fazer e qual conduta adotar para colaborar com seu tratamento.

Agora, o trabalho de desmanche desta amarração, requer muito conhecimento em manipulação energética, porque não basta capturar a entidade que fez o feitiço e atuou contra as Leis de Deus; nem direcionar os sofredores (eguns) que estão próximos da vítima, é necessário complementar o trabalho anulando a inversão de polaridade energética emanada pelas flores para findar definitivamente o processo de feitiçaria que foi ativado contra a pessoa.

Caso isso não ocorra, a pessoa que sofreu o feitiço pode num primeiro momento se livrar da amarração, devido a captura da entidade maligna e o afastamento dos sofredores (eguns), porém continuará com a capacidade de raciocínio comprometida e atraindo outros sofredores para sua companhia, devido a emanação inebriante das flores. Isso ocorrerá de forma crônica, chegando ao ponto de causar doenças físicas por deficiência no sistema imunológico trazendo sérias consequências para a vida desta pessoa.

Como podem observar uma flor sendo manipulada com conhecimento energético, tanto para o bem como para o mal, torna-se arma poderosa, já que da mesma forma, pode curar e libertar; tudo dependerá da dimensão e polaridade que ela for manipulada.

Todos os elementos naturais, como flores, ervas, pedras, essências e etc., são armas poderosíssimas nas mãos daqueles que os sabem usar.

E como sempre diz o Caboclo Cobra Coral, o conhecimento é o único caminho para a evolução.
Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá
Aula inspirada pelo Caboclo Cobra Coral, em 15.09.11.

2 comentários:

  1. Quando fiz o curso de Apometria, os instrutores, nos falavam desta capacidade de invertermos as polaridades das coisas. Em uma das aulas práticas, quando os médiuns foram (mentalmente) até a casa de um dos pacientes, encontraram a forma astral de um livro que há muito havia desaparecido. O livro continha ensinamentos esotéricos bons, mas que foram usados indevidamente, por quem pegou. Através de comandos apométricos, foi feita a inversão de polaridade, e posteriormente a destruição do tal livro. Como conhecíamos o histórico do paciente, sabíamos a qual livro o médium estava se referindo. Foi muito instrutiva esta aula, porque se quer lembrávamos deste livro, e seu paradeiro. Como temos que aprender ainda, como precisamos crescer espiritualmente, como precisamos estudar.
    Abraços

    Ronaldo.

    ResponderExcluir
  2. Meu filho querido,


    Os estudos são intermináveis mas, a dedicação deve ser incansável pois, apenas através dele é que poderemos atingir algo a mais em nossa evolução. A conduta moral também é um caminho eficaz para isso, portanto sejamos fortes em nossa jornada e que Deus continue nos abençoando com as oportunidades de aprendizado através de nossos valorozos guias.

    Abraços e Luz,
    Mãe Solange de Iemanjá

    ResponderExcluir