11 de mai de 2011

Os vampiros de emoções.

Olá pessoal,

Estou estudando um livro que fala a respeito do Reino das Sombras. Neste, existi explicações para um grande número de atuações do baixo astral e obsessões complexas. E em uma determinada parte, onde trata sobre o vampirismo algo muito corriqueiro me chamou atenção. E é justamente por se tratar de uma situação corriqueira que trago, para o blog, pequenos trechos deste capítulo. Vejam o que diz o Preto Velho Pai João de Aruanda, quando é questionado a respeito da consciência do que fazem esses seres que são vampiros de energia:-

- Esses seres têm consciência do que fazem?

- Nem sempre, Ângelo, nem sempre. Em sua grande maioria, esses espíritos apenas se aproximam dos encarnados e sugam de modo quase inconsciente as reservas vitais do duplo etérico de meus filhos. Mas é preciso lembrar que não somente no plano astral, como também no físico existem ladrões de energia. Aliás, na sociedade atual, mais do que nunca, os homens estão cercados deles.

Numa parte um pouco mais abaixo, ele continua:-

- Tanto no corpo físico quanto fora dele, os vampiros modernos são seres que, para se manter vivos, sentem a necessidade de buscar outras fontes de alimento, passando a sugar a vitalidade e absorver as emoções de outras pessoas. Portanto, é natural concluir que, quando desencarnam, os vampiros apenas transferem domicílio, encontrando um campo de atuação mais vasto, ligeiramente invisível e imperceptível aos sentidos humanos comuns.
- Pelo que entendi de sua fala – principiou Raul – tais seres não roubam apenas vitalidade. Eles sobrevivem também das emoções de suas vítimas.
- Isto é certo meu filho.

E a seguir ele diz:-

- Talvez o parente, o amigo, o irmão ou qualquer outro familiar possa ser um sugador de emoções; alguém que, mesmo sem plena consciência, venha drenando as energias de meus filhos. Usualmente, quer se encontre dentro ou fora do corpo, tal criatura gosta muito de atacar pelo lado emocional e afetivo, ruindo aos poucos as defesas imunológicas do corpo espiritual daqueles a quem dedica sua atenção. Faz de tudo para despertar comiseração e aproveita a bondade e a boa vontade dos outros para se mostrar infeliz, de modo que, de passo em passo, vai dominando emocionalmente seus alvos. Quando encarnados, lança mão de qualquer recurso, especialmente a chantagem emocional, para realçar sua aparente infelicidade. Lágrimas provocadas; está pronto para drenar as emoções das vítimas que encontra em seu caminho e que lhe dão atenção. Ao desencarnar, integra-se à imensa legião de seres desequilibrados...

Após ler esse ensinamento, deixo para vocês uma pergunta.

Vocês reconhecem alguém que convivi ao seu lado, que precisa estar sempre criando situações, discuções, dramas, e chantagens emocionais?

Caso sua resposta seja afirmativa, caberá à você decidir se continuará a dar atenção e ser uma fonte de alimento ou não!
Reflita!!!

Abraços e Luz
Mãe Solange de Iemanjá


Fonte:- Livro “Legião” - Autor:- Robson Pinheiro - Editora:- Casa dos espíritos.

5 comentários:

  1. Ótimo trecho, excelente livro...
    Além desse questionamento que devemos sim nos fazer, cabe ainda nos questionarmos: e eu, estou vampirizando alguém?
    Vale a pena persistir nessa situação, ou ainda alimentar meu vampirizador?
    Da mesma maneira como valorizarmos nossos bens materiais, devemos desviar nossa atenção para o cuidado com nossas atitudes perante nossas emoções, nosso ectoplasma, nosso humor, nosso corpo físico....não acham?
    Somos um todo, e esse todo deve estar equilibrado o máximo possível.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  2. Priscilla Carvalheiro11 de mai de 2011 22:06:00

    Nossa excelente explicação...
    Não imaginava que poderia existir algo deste tipo e o pior pode acontecer, com pessoas que estão ao nosso lado diariamente e pessoas que amamos também. Porém, depende de nós alimentarmos ou não. Vejo que cada vez mais aprendo a viver e me proteger.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Ótima explicação!

    Agora entendi melhor tudo o que passei!
    E ficarei mais alerta para não ser vampirizada ou ser a vampira!

    Beijos

    Rose

    ResponderExcluir
  4. Realmente esse texto, como disse demonstra algo corriqueiro ao extremo de proporções muito maiores do que imaginamos. Como disse a Aline, temos sim que ser honestos e nos avaliarmos no sentido de perceber se somos ou não um Vampiro de emoções, é difícil tarefa mas, de grande valia ao nosso crescimento pessoal.
    Espero de coração poder colaborar com todos vcs, de uma forma informativa e saibam que estarei sempre pronta e disposta a esclarecer qualquer questionamento que possa haver.

    Abraços e Luz
    Mãe Solange de Iemanjá

    ResponderExcluir
  5. Eu conheço alguem sim. Ele detem um certo cargo na empresa onde trabalho, e ao contrário de fazer-se coitadinho, gosta de deixar sua alto-estima no chão. Por mais feliz que esteja o seu dia, ele consegue estraga-lo. Vive dizendo frases do tipo "estou só tentando ajuda-lo",mas na verdade sente prazer em tirar-lhe a alegria de viver.Mina suas forças, porque nada, nem ninguem pode agrada-lo ou iguala-lo em inteligencia, capacidade, esforço.

    ResponderExcluir