7 de mar de 2011

6 - Quem são os Exús?

AS MANIFESTAÇÕES DOS EXUS SOBRE OS MÉDIUNS
Através do dom do oráculo, ou mediunidade, os espíritos conseguem manter intercâmbio com os encarnados. O contato dá-se através das várias modalidades mediúnicas, seja ela a vidência, clarividência, clariaudiência, psicografia, psicofônia, etc. No movimento umbandista, as entidades, normalmente manifestam-se ou pela incorporação ou pela radiação intuitiva. A incorporação é a modalidade mediúnica mais utilizada, por várias razões, trazendo as comunicações da "boca" dos próprios espíritos, ou seja, eles estão no momento da manifestação, presentes e próximos aos encarnados. A incorporação traz como benefício, a confiabilidade das comunicações, já que podemos "ver" o espírito manifestado, reconhecendo-o através de seus próprios movimentos, ações, voz, etc.
Assim, é possível manter estreito contato entre o espírito e o consulente. Na incorporação, o espírito comunicante, não "entra" no corpo físico do médium, mas apenas toma as "rédeas" da situação, controlando o corpo físico com ou sem a intervenção do médium. O espírito, assim, apenas se aproxima do corpo físico, mas não o toma ou "entra" nele. A incorporação divide-se pela intervenção ou não do médium em: Incorporação Semi-consciente. Na semi-consciente, o espírito do médium se afasta um pouco do corpo, mas mantém ligação consciente com ele, enquanto que o espírito comunicante assume algumas funções motoras do corpo físico. A semi-inconsciência pode variar de intensidade, ou seja, o médium pode ter um grande grau de consciência.
O médium, tem, enquanto dura a manifestação, alguns lampejos de consciência, vendo a manifestação como se estivesse distante ou alheio. A noção de tempo, também, é diferente, pois mesmo depois de algumas horas de incorporação, o médium tem a noção de que se passou apenas alguns minutos. Estas ligações mediúnicas, através da incorporação, são efetuadas pelos espíritos, através do corpo astral do médium. Os espíritos comunicantes, usam, assim, os chacras do médium correspondentes à sua linha de atuação. É claro que os demais chacras são utilizados, mas há sempre o chacra principal de ponto de contato e manipulação.
Quando a entidade "incorpora" ou nos momentos pré-incorporativos, um médium, pode sentir a diferença vibracional. Assim, um médium experimentado, consegue distinguir uma entidade da outra, pois as vibrações energéticas decada entidade são diferentes umas das outras. Um erê (criança) se manifesta utilizando o chacra laríngeo (localizado nagarganta ou laringe), por isso que o corpo do médium fala com uma voz mais afinada, do tipo criança. Os exus por sua vez, também, usam os chacras correspondentes, mas como estão muito ligados ao terra-a-terra, usam bastante o chacra básico ou genésico. As pombas-giras, como são exus, usam muito o chacra genésico (glândulas sexuais) para se manifestarem. Por dominarem e controlarem as energias relacionadas ao sexo, elas "carregam" este tipo de vibração.
Por esta característica, um médium "sente" uma mudança significativa no seu padrão vibracional, pois uma pomba-gira está "atirando" suas vibrações afins. Por isso, pode-se causar certo incomodo no médium, pois o seu centro genésico é estimulado no lado astral e suas glândulas sexuais são estimuladas no lado material e ele pode sentir a mesma sensação de excitação. Na verdade é apenas uma energia se manifestando e o médium deve saber diferenciar uma excitação normal de uma manifestação de um exu. Se o médium, cair na tentação e deixar-se levar, ele poderá se prejudicar, gastando a sua energia à toa. Também, a pomba-gira, por encontrar no médium, energia sexual saturada, esgota-a nos momentos iniciais da incorporação.
Da mesma maneira, a pomba-gira, esgota a energia sexual de um consulente mais excitado. Elas, realmente se divertem com isso, mesmo estando trabalhando seriamente neste assunto. Também, devemos relevar que muitos médiuns, põe para fora todo a sua libido nos momentos de incorporação de uma pomba-gira. Claro que as pombas-giras reconhecem isso na hora e podem até reajustar a sintonia do médium, dependendo do seu merecimento. Outro fato muitíssimo importante é a manifestação de uma kiumba passando-se por uma pomba-gira. Deve-se tomar muito cuidado, pois certamente ela estará apenas vampirizando as emanações sensuais do médium, podendo prejudicá-lo seriamente. Também, devido à classificação dos exus, pode ser que seja mesmo umapomba-gira, mas uma rabo-de-encruza ou uma de nível bem próximo às trevas.
Como elas não tem muito conhecimento do bem e do mal, podem também, prejudicar um médium.Vale lembrar que às vezes, um consulente, pode ficar fascinado ou encantado com uma pomba-gira. Isso é perigoso para a pessoa, já que pode desequilibrar-se. O que fazer então ? "Orai e vigiai" é o lema de todo médium. Devemos estar atentos não com os vícios alheios, mas com os nossos. Devemos direcionar as energias desequilibrantes e transformá-las em energias salutares, em ações benéficas. Podemos, por imperfeição, ter os nossos vícios sexuais, mas através de um verdadeiro exu pomba-gira, podemos nos curar com a ajuda de nossos esforços. Quando vemos então um médium, que manifesta uma pomba-gira, e acharmos que está excitado, devemos mantermos vigilantes para que nós não caiamos nas vibrações sensuais que nos prejudicarão. Na verdade o médium, como ser muito sensível, está apenas deixando que as vibrações se manifestem por ele.
Um bom exemplo disso, quando um espírito sofredor se aproxima de um médium, este sente todas as dores, como se fossem as suas mesmo, mas na verdade é apenas um reflexo que o médium sente. A vibração é do espírito sofredor.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Apesar de todos estes aspectos, devemos conhecer cada vez mais o trabalhodos guardiães, pois eles estão do lado da Lei e não contra elas. Vamos encará-los de maneira racional e não como bicho-papões. Eles estão sempre dispostos ao esclarecimento. Através de uma conversa franca, honesta e respeitosa, podemos aprender muito com eles, porém, ao conversar com eles, devemos tomar muito cuidado com comportamentos dissimulados, com falsidades e ou mentiras. Estas entidades, caminhantes rumo à evolução, desprezam tais atitudes, abominando toda tentativa de tais expressões. A franqueza e a lealdade são consideradas por eles as primeiras atitudes que devemos adotar para evoluir.

Sempre ouvimos dizer:- Cuidado ao conversar com um Exú. Este alerta se dá justamente por conta do hábito de dissimular do ser humano. Que diante de um Exú, poderá se transformar numa forte discução, onde ele fará seu consulente, admitir e aceitar suas podridões, seus desajustes.

Diante disto, eles sempre alertam seus seguidores.

- Mentir para o meu burro é fácil porém, mentir para mim é uma tentativa vã!

Estamos numa época que o sobrenatural, o maravilhoso e o milagroso já não existem. As informações devem ser espalhadas e discutidas. Não sejamos ingênuos aceitando tudo como verdades absolutas, usemos a razão e o discernimento para separar o joio do trigo. não deixemos, também, que apenas os outros saiam a pesquisar. Empreendemos, também, a nossa viagem ao desconhecido e exploremos os aspectos que até agora manteve-se na obscuridade. Este ensaio é despretensioso e não tenta encerrar o "Arcano" (segredo) Exu, mas, apenas ajudar às pessoas a iniciarem as suas próprias explorações. Contestar este pequeno trabalho, de maneira racional e desprovida depreconceitos, com argumentos , é para mim um grande presente.

Abraços e Luz,
Mãe Solange de Iemanjá

Nenhum comentário:

Postar um comentário