26 de fev de 2011

Estudos em Apometria - Corpos Sutis: O Duplo Etérico

INTRODUÇÃO
O movimento espírita divulgado por Allan Kardec surgiu na segunda metade do século XIX e impôs-se enquanto doutrina espiritual e filosófica, embasada através de uma metodologia científica.

O espiritismo encontra-se centrado nas manifestações conscientes dos espíritos e nos ensinamentos por eles transmitidos e incentiva o estudo, a aquisição de novos conhecimentos, o aprimoramento intelectual, moral e a transformação do homem, enfatizando a realidade e a permanência da vida espiritual bem como a sua continuidade, antes e depois da morte do corpo físico. Este corpo é um revestimento adensado de que se reveste o Corpo Espiritual e é constituído por matéria grosseira encontrando-se limitado por fatores biológicos, vivenciais e kármicos.
Paulo de Tarso em I Coríntios (15:40) afirma que: "Há corpos celestes e há corpos terrestres". Como esses corpos se conjugam na dimensão em que vivemos? Como seria visto o homem além de sua estrutura física?

Assumindo as concepções acima, podemos conceber o ser humano como composto de vários corpos superpostos, entretanto só nos é possível ver o corpo físico, por ser constituído da parte mais densa de energia. É um corpo que possui funções autônomas e constituído de uma complexa rede de Meridianos e Nadis (canais de fluxo de energia) por onde os estímulos eletromagnéticos passam, permitindo que o corpo físico funcione.




a) Corpo Etérico ou Duplo Etérico
      Alma Vital, vitalidade prânica, reproduz a forma do corpo físico com uma estrutura tênue, invisível, quase imaterial. Tem por função estabelecer a saúde automaticamente, sem interferência da consciência. Distribui as energias vitalizantes pelo Corpo Físico, promovendo sua harmonia.
O Corpo Etérico é o mediador ou elo plástico entre o Corpo Físico e o conjunto perispíritico. Essas ligações se fazem por cordões ligados aos chakras (ou centros de força). Dessa forma podemos dizer que o Duplo Etérico funciona como um transdutor de energia e as portas de comunicação entre os corpos são os chakras.

Para que o corpo físico (matéria densa) receba estímulos dos corpos menos densos (corpos sutis) é preciso “acoplar” a matéria densa com a sutil. Esse acoplamento é realizado através de um corpo chamado “duplo etérico” cuja função mais importante é transmitir para a tela do cérebro todas as vibrações das emoções e impulsos que o perispírito recebe da alma expressando as qualidades próprias de cada indivíduo. Absorver a vitalidade (prana) emanada do Sol, misturando-a com as várias energias vitalizantes do planeta e distribuindo-as ao soma. Seu automatismo é instintivo e biológico, não inteligente.

O Duplo Etérico é constituído por ectoplasma cuja base é o “fluido cósmico universal” emanado do próprio planeta Terra. É peça fundamental nos efeitos físicos e acoplamento mediúnico e pode ser afetado por substâncias ácidas, hipnóticas, sedativas ou entorpecentes.  As criaturas dotadas de mediunidade devem ter o máximo cuidado evitando alimentos ou bebidas com as características acima descritas.

Pode ser afastado do corpo por pequena distância, através de anestesia, transe mediúnico, sono, coma alcoólico ou mesmo hipnotismo, mas tende sempre a reintegração. 

Quando há o desencarne do ser o Duplo Etérico drena para o corpo inerte, as energias negativas residuais, retirando do espírito recém liberto as sobrecargas desnecessárias. Após a drenagem o Duplo Etérico entra em processo de desintegração e esse fenômeno, passível de ser observado é conhecido por “fogo-fátuo”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário